Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

PF faz buscas na Gerdau no âmbito da Operação Zelotes

Grupo teria sonegado R$ 1,5 bilhão. Buscas são feitas em SP, Brasília, RJ, Porto Alegre e Recife

Brasil|Do R7, com agências


Zelotes começou em março do ano passado e já está na sexta fase
Zelotes começou em março do ano passado e já está na sexta fase

A PF (Polícia Federal) realiza buscas em sedes do grupo siderúrgico Gerdau nesta quinta-feira (25), no âmbito da Operação Zelotes, que investiga fraudes em julgamentos do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), ligado ao Ministério da Fazenda.

Essa é a sexta fase da Operação Zelotes. Os policiais estão nas ruas para cumprir 22 mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada à delegacia para prestar depoimento e, em seguida, é liberada, e outros 18 de busca e apreensão.

Segundo a assessoria de imprensa da PF, os policiais estão realizando ações em Brasília (DF), Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE).

Um dos alvos desta etapa é o grupo Gerdau. A suspeita é que o grupo tenha atuado no Carf para evitar o pagamento de multas que chegam a R$ 1,5 bilhão.

Publicidade

Leia mais notícias de Brasil e Política

Conheça o R7 Play e assista a todos os programas da Record na íntegra!

Publicidade

Em nota, o Grupo Gerdau informou que colabora com a PF e disse que "não concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse utilizado em pretensas negociações ilegais, repelindo veementemente qualquer atitude que possa ter ocorrido com esse fim" (leia comunicado na íntegra abaixo).

De acordo com a PF, a Gerdau, que mantém operações em 14 países, fechou contratos com escritórios de advocacia e de consultoria, os quais, por meio de seus sócios, agiram de maneira ilícita, manipulando o andamento, a distribuição e decisões do Carf.

Publicidade

Para a PF, o objetivo era conseguir a aprovação de seus recursos e também o cancelamento da cobrança de tributos em seus processos.

Mesmo após o início da Operação Zelotes, em março de 2015, a PF apurou evidências da continuidade da prática dos crimes de advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro pelo esquema.

Conforme a PF, a estrutura criminosa complexa é composta por "conselheiros e ex-conselheiros do Carf, advogados e a empresa siderúrgica alvo da ação".

Leia a nota da Gerdau na íntegra:

"Nota de imprensa

A Gerdau comunica que a Polícia Federal está, hoje pela manhã, em suas dependências em relação à Operação Zelotes. Esclarece que não tem mais informações até o momento, mas está colaborando integralmente com as investigações da Polícia Federal.

Ressalte-se ainda que, com base em seus preceitos éticos, a Gerdau não concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse utilizado em pretensas negociações ilegais, repelindo veementemente qualquer atitude que possa ter ocorrido com esse fim.

​A Gerdau reitera, portanto, que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos e reafirma que está, como sempre esteve, à disposição das autoridades competentes para prestar os esclarecimentos que vierem a ser solicitados."

Entenda

A Operação Zelotes começou em março do ano passado e já está na sexta fase. O objetivo da PF é desarticular organizações criminosas que atuavam junto ao Carf, manipulando o trâmite de processos e o resultado de julgamentos.

Na quarta fase, que aconteceu em outubro, foram presas 15 pessoas. Os crimes investigados nessa operação são: advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção passiva, corrupção ativa, associação criminosa, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.