Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

CPI pede cópia de BO feito contra chefe de gabinete de Queiroga

Secretária de Gestão e Educação em Saúde, Mayra Pinheiro, alega ter sido ameaçada por funcionário do ministro

Brasília|Isabella Macedo, do R7, em Brasília


CPI pediu informações à Polícia Civil e Secretaria de Segurança do DF
CPI pediu informações à Polícia Civil e Secretaria de Segurança do DF Pedro Fran�a/Pedro Fran�a/Ag�ncia Senado

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 pediu à Polícia Civil do Distrito Federal uma cópia do boletim de ocorrência feito pela secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, contra João Lopes de Araújo Júnior, chefe de gabinete do ministro da Saúde Marcelo Queiroga. O registro teria sido feito no dia 25 de setembro.

A secretária teria levado à polícia, segundo divulgado na imprensa, mensagens enviadas pelo chefe de gabinete, alegando ter sido ameaçada por ele porque Mayra supostamente teria participado de uma conspiração para tentar tirar Queiroga do cargo com o ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni.

Durante a reunião da CPI de hoje, os senadores repercutiram a informação, afirmando que a comissão precisa averiguar as disputas dentro do ministério e como elas afetam a condução da pasta. “Não temos nada a ver se tiver alguma relação privada. Tem tudo a ver se ocorreu no âmbito do Ministério da Saúde e no âmbito de conflitos internos do Ministério da Saúde que prejudicam o combate à pandemia no país”, afirmou o vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), determinou que a Polícia Legislativa entre em contato com a Polícia Civil e com a Secretaria de Segurança do Distrito Federal para que encaminhe uma cópia do documento. “Se for um negócio sigiloso, ficará sob sigilo na Comissão Parlamentar de Inquérito”, completou Aziz.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.