Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Crianças atropeladas por motorista embriagado no DF passam por cirurgia; duas estão na UTI

Motorista responsável pelo acidente está preso e vai passar por audiência de custódia; teste no IML comprovou ingestão de álcool

Brasília|Jéssica Moura, do R7, e Maíra Guedes, da Record TV

Local do acidente foi periciado pela Polícia Civil do Distrito Federal
Local do acidente foi periciado pela Polícia Civil do Distrito Federal Local do acidente foi periciado pela Polícia Civil do Distrito Federal

Três das cinco crianças entre 4 e 6 anos que foram atropeladas em Ceilândia na tarde deste domingo (22) passaram por cirurgia durante a madrugada desta segunda-feira (23) no Hospital de Base. Duas delas foram transferidas para leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e uma ainda aguarda vaga. O estado de saúde das três é considerado grave.

O Iges-DF, responsável pelo Hospital de Base, afirmou que a criança será alocada na UTI pediátrica, pois um dos paciente está prestes a receber alta. A quarta criança, que não precisa de UTI, deve ser transferida para outro hospital, já que o Hospital de Base não tem enfermaria pediátrica. 

Segundo a avó das vítimas, Shirley Pereira, uma das netas sofreu traumatismo craniano, uma segunda teve as duas pernas fraturadas e a terceira sofreu uma perfuração no pulmão. Outra vítima, de 10 anos, está no Hospital Regional de Ceilândia com quadro de saúde considerado estável. Um primo de 14 anos que acompanhava as crianças sofreu apenas escoriações.

O motorista investigado pelo atropelamento deve passar por audiência de custódia depois da prisão em flagrante. O caso tramita em segredo de Justiça na 2ª Vara Criminal de Ceilândia.

Publicidade

O acidente

A avó das crianças relatou que, no momento do acidente, as crianças pretendiam ir a um parquinho onde costumam brincar. No entanto, quando atravessaram a rua, na QNP 5, o motorista Francisco Manoel da Silva, de 53 anos, não parou na faixa de pedestres.

Depois de atingir as crianças, ele tentou fugir da cena do crime, mas foi contido por motociclistas que passavam pela via. Em seguida, populares desferiram golpes no motorista antes da chegada da polícia.

Segundo a Polícia Civil, Francisco Manoel não tinha carteira de habilitação. Além disso, o teste de alcoolemia ao qual foi submetido no Instituto Médico-Legal comprovou que ele havia bebido antes de dirigir. O suspeito deverá responder pelo crime de lesão corporal na direção de veículo automotivo qualificada, delito para o qual não há fiança.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.