Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Do Val diz que depoimento à PF foi 'reunião entre amigos' e nega possibilidade de prisão

Senador alegou ter usado a imprensa para 'pôr em prática um plano' e disse que vai provar prevaricação de ministros e de Lula

Brasília|Bruna Lima, do R7, em Brasília

Marcos do Val denunciou tentativa de golpe contra ministro Alexandre de Moraes
Marcos do Val denunciou tentativa de golpe contra ministro Alexandre de Moraes Marcos do Val denunciou tentativa de golpe contra ministro Alexandre de Moraes

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) usou as redes sociais nesta sexta-feira (3) para dizer que não há possibilidade de ser preso em razão das últimas declarações sobre um suposto plano de golpe de Estado e que o depoimento que prestou à Polícia Federal (PF) foi uma "reunião entre amigos". O parlamentar alegou ter usado a imprensa para pôr em prática um plano para derrubar ministros e o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Não vou recuar. Meu objetivo é provar prevaricação dos ministros e do atual presidente da República", disse, sem explicitar se os ministros seriam os do poder Executivo ou do Judiciário. O senador já afirmou, no entanto, ter acesso a documentos que comprovam omissão por parte de Lula e do ministro da Justiça, Flávio Dino, quanto aos ataques extremistas de 8 de janeiro. 

Atacando a imprensa por mudar a "intenção da fala", Do Val disse ter anunciado uma renúncia como estratégia para dar o primeiro passo de um plano. "Não vai acontecer isso [renúncia]. Foi uma jogada para eu conseguir fazer com que a imprensa pudesse vir a peso para que eu pudesse dar início à nossa estratégia", ressaltou.

Do Val falou, ainda, em "mudar o Brasil e o sistema que acontece aqui" e reiterou que há uma "notícia maravilhosa para acontecer". Ele denunciou uma tentativa de golpe de Estado e de gravação ilegal do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A proposta teria sido feita pelo ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) em reunião com a presença de Jair Bolsonaro (PL).

Publicidade
Estou lutando pela CPI porque nela vamos tirar o sigilo imposto pelo presidente da República nos documentos%2C que são bombásticos%2C e aí vocês terão acesso à verdade e vão presenciar a realização de um sonho de todos nós

(Marcos do Val, senador)

Sobre a relação com o ex-presidente, Do Val disse que o plano está sendo levado a ele. "Bolsonaro está sendo comunicado. Disponibilizou o ministro da comunicação dele", afirmou, e completou que os filhos do ex-presidente Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) são "parceiraços". 

Mudança de versão

Em uma primeira transmissão pelas redes sociais, antes do depoimento à PF e da coletiva de imprensa desta quinta-feira (2), Do Val chegou a falar em "coação" por parte do ex-presidente na tentativa de aliciar o senador como infiltrado para tentar derrubar Moraes. Ele voltou atrás e minimizou a participação do ex-chefe do Executivo. Por outro lado, o senador reiterou que Bolsonaro não tentou impedir o plano.

Publicidade

“Não impediu o Daniel [Silveira]”, afirmou, na quinta (2), em conversa com jornalistas. Segundo o parlamentar, era o ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) quem estava “desesperado para manter sua posição, seu networking no Congresso”. Do Val ainda acrescentou que Silveira pleiteava um cargo no gabinete do senador Magno Malta (PL-BA).

O senador sugeriu, ainda, que o próprio presidente também poderia estar tentando ouvir Silveira para denunciá-lo. “Pode até ser que o presidente, via GSI, estava ali para escutar e, de repente, denunciar.” No entanto, ele também disse, ao ser procurado pelo ex-deputado dois dias antes do encontro, que Bolsonaro estava ciente da reunião.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.