Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Encontro com Pacheco no Senado encerra visita oficial de Macron ao Brasil

Mais cedo, francês se reuniu com Lula no Planalto, para reunião bilateral e assinatura de 23 acordos entre os dois países

Brasília|Ana Isabel Mansur, do R7, em Brasília

Emmanuel Macron elogiou a democracia brasileira
Emmanuel Macron elogiou a democracia brasileira Emmanuel Macron elogiou a democracia brasileira (Pedro França/Agência Senado - 28.03.2024 )

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), recebeu o presidente da França no fim da tarde desta quinta-feira (28) no Congresso Nacional, em Brasília. O encontro marcou o fim da visita de três dias de Emmanuel Macron ao país. A reunião com Pacheco, que também preside o Congresso, faz parte do protocolo de eventos de chefes de Estado estrangeiros no Brasil.

Macron elogiou a democracia brasileira, a qual chamou de "muito viva". "Para nós, é uma fonte de inspiração ver a capacidade de resistência que vocês têm", destacou o líder europeu, ao agradecer a hospitalidade. Na visita ao Brasil, o francês também foi a Belém (PA), a Itaguaí (RJ) e a São Paulo (SP). 

Ao chegar ao Congresso, Macron foi saudado pela Guarda de Honra militar, subiu a rampa do palácio, que estava coberta com um tapete vermelho, e foi recebido por Pacheco. O presidente do Senado agradeceu a visita e destacou que o fato de o encontro ocorrer na semana em que a Casa completa 200 anos é "marcante".

Mais cedo, Macron se reuniu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, para reunião bilateral e assinatura de acordos entre os dois países. Depois, foi servido um almoço em homenagem ao líder europeu no Palácio do Itamaraty.

Publicidade

Leia também

Dos documentos, 21 foram assinados nesta quinta-feira (28) e dois foram firmados em Belém (PA), na terça (26). Entre os temas, estão cooperação jurídica, biodiversidade, segurança energética, modernização da gestão pública, defesa civil, desenvolvimento sustentável, saúde, esportes, segurança, clima e gênero.

Lula defendeu, ao lado de Macron, um debate multilateral em torno da governança da inteligência artificial. De acordo com o brasileiro, o tema entrou no rol da agenda bilateral entre Brasil e França.

"Por essa razão o Brasil aderiu, em 2023, à iniciativa francesa Parceria para Informação e Democracia e seguirá trabalhando para promover e proteger a circulação de informação confiável. É tempo de promover um debate verdadeiramente multilateral em torno da governança da inteligência artificial. É inaceitável que um novo hiato separe os países ricos, detentores dessa tecnologia, dos países em desenvolvimento, onde o simples acesso à Internet permanece precário", disse Lula.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.