Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Ex-administrador de Brazlândia é investigado por vender terreno público de R$ 1 milhão

Atual chefe de gabinete do deputado distrital Iolando, Marcelo da Cunha teve mandados cumpridos em sua residência

Brasília|Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília

Terreno avaliado em R$ 1 milhão de Brazlândia (PCDF/Divulgação -)

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga o ex-administrador de Brazlândia Marcelo da Cunha por suspeita de vender um terreno público avaliado em R$ 1 milhão. Atualmente, ele é chefe de gabinete do deputado distrital Iolando (MDB). Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em duas casas, uma em Brazlândia e outra em Águas Lindas de Goiás. O R7 tenta contato com a defesa de Marcelo.

A investigação da 18ª Delegacia de Polícia aponta que ele teria negociado, no ano passado, um terreno da Terracap (Companhia Imobiliária de Brasília) com um empresário de Brazlândia. Ainda segundo a corporação, atualmente Marcelo negociava outro lote público com uma rede de supermercados.

Veja Mais

A apuração da Polícia apontou também que em 2022 o ex-administrador de Brazlândia recebeu valores de empresários que forneceram tendas e equipamentos de som e iluminação para três grandes eventos na região. No entanto, esses valores teriam sido ocultados e dissimulados em contas de familiares dos investigados.

O terreno vendido que valia mais de R$ 1 milhão está situado às margens do Lago Veredinha, área nobre de Brazlândia. O empresário já havia instalado água e luz no terreno.

Em nota enviada ao R7, a assessoria de imprensa do deputado Iolando reforçou que o parlamentar não é investigado na ação da Polícia. “Informamos ainda que o parlamentar tomou conhecimento dos fatos por meio da imprensa nesta manhã e vai tomar as providências necessárias em relação aos fatos”, diz o texto.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.