Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Indústria do aço anuncia investimento de R$ 100,2 bilhões até 2028

Setor e governo chegaram a acordo para aumentar imposto sobre importação e proteger indústria nacional

Brasília|Ana Isabel Mansur, do R7, em Brasília

Em 2023, importação do aço cresceu 30% na comparação com a média de 2020 a 2022 (Miguel Ângelo/CNI - arquivo)

O setor da indústria de aço do Brasil anunciou nesta segunda-feira (20) que vai investir R$ 100,2 bilhões até 2028. O anúncio, que contou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi feito no Palácio do Planalto, com a presença de representantes do setor e do vice-presidente e ministro do MDIC (Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços), Geraldo Alckmin, além dos ministros Fernando Haddad (Fazenda), Luciana Santos (Ciência, Tecnologia e Inovação) e Alexandre Silveira (Minas e Energia).

LEIA MAIS

O governo e o setor chegaram a um acordo para proteger a indústria nacional — no ano passado, a importação do aço cresceu 30% na comparação com a média das aquisições de 2020 a 2022, segundo o MDIC. As siderúrgicas brasileiras alegam competição desleal do aço chinês, que chega ao Brasil com preço menor do que os produtos nacionais.

O anúncio de investimento, na avaliação de Alckmin, é resultado da política de proteção à indústria nacional, anunciada no fim de abril, quando o governo decidiu aumentar o imposto de importação de 11 produtos de aço. A medida deve começar a valer em junho. Os itens da lista vão ser incluídos em cotas de importação — se o limite máximo for superado, o imposto sobre eles será de 25%. Normalmente, a importação de produtos de aço tem alíquota que varia de 9% a 14,4%.

Segundo o vice-presidente, a medida de cotas é inédita. ”Houve grande preocupação em relação à importação de aço, que nos últimos anos teve crescimento muito grande, levando a uma ociosidade de uma indústria [nacional] de base importante, que é a indústria siderúrgica. Primeiro, agimos na defesa comercial, estabelecemos mecanismos antidumping [instrumentos de defesa comercial para proteger a indústria doméstica], cinco já aplicados e 10 investigações em curso. Além disso, fizemos uma medida inédita no Brasil, que é a cota. Pegamos a média das importações de 2020, 2021 e 2022, acrescemos mais 30% — essa é a cota. Até esse valor, não tem nenhum aumento no imposto de importação. O que passar disso terá 25% de impostos de importação. Isso foi perfeitamente entendido por toda a indústria e o resultado são R$ 100,2 bilhões de investimento, melhorando competitividade, descarbonização e gerando emprego e renda”, explicou o vice-presidente.

Publicidade

Lula agradeceu o investimento do setor e se disse otimista com o cenário. “O Brasil é exatamente a bola da vez. Na semana que vem, mais um setor vai anunciar mais R$ 100 bilhões [de investimentos]. Agora, este país outra vez está pronto”, declarou o presidente, ao criticar o preço dos veículos e as fake news disseminadas pelas plataformas digitais.

“Qual é o brasileiro que pode comprar um carro de R$ 150 mil? Temos que baratear um pouco o preço dos carros, voltar a produzir carro para o povo brasileiro, não para o povo americano, que não importa carro nosso. Acho que este país está precisando de muita notícia boa, [porque] está vivendo uma fábrica de produção de mentiras que nossa geração não estava habituada a conviver. É uma fábrica de destruição, e a gente está percebendo que está no mundo inteiro”, completou.

Publicidade



Publicidade





Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.