Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Interventor federal faz novas trocas na Segurança do DF

Ricardo Cappelli nomeou delegado da Polícia Civil para secretaria-executiva e fez trocas também na Casa Militar e no Detran

Brasília|Do R7, em Brasília

Interventor do DF, Ricardo Cappelli, e a governadora em exercício, Celina Leão
Interventor do DF, Ricardo Cappelli, e a governadora em exercício, Celina Leão Interventor do DF, Ricardo Cappelli, e a governadora em exercício, Celina Leão

O interventor federal do Distrito Federal, Ricardo Cappelli, fez novas trocas em cargos da Secretaria de Segurança Pública do DF. O delegado da Polícia Civil do DF Celso Wagner Lima assumirá interinamente como secretário-executivo da Secretaria-Executiva de Gestão Integrada. 

Cappelli fez trocas também na Corregedoria do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), na Casa Militar e no Centro Integrado de Operações de Brasília. As mudanças estão em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de quarta-feira (18) e na edição desta quinta-feira (19).

Desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção federal na Segurança Pública do DF, o interventor tem afastado os servidores que atuaram no dia em que extremistas invadiram as sedes dos Três Poderes e atacaram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília.

Um acordo entre a governadora em exercício, Celina Leão, o interventor e o ministro da Justiça, Flavio Dino, permitirá que o governo federal escolha o novo secretário de Segurança do DF, que deve ser mantido no cargo após o fim da intervenção. 

Publicidade

O delegado da Polícia Federal Cláudio Tusco é apontado como o preferido para assumir o cargo de secretário de Segurança Pública do Distrito Federal após o afastamento da cúpula da pasta em intervenção federal. 

Tusco ocupa também o cargo de chefe substituto do Serviço de Publicação e Pesquisas da Escola Superior de Polícia. Formado em direito e especialista em participação social em segurança pública, atua como presidente de inquéritos policiais e chefe de equipe em operações especiais.

Publicidade

Exoneração

Desde a intervenção federal decretada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Segurança Pública do DF está sob responsabilidade de Cappelli, que é secretário-executivo do Ministério da Justiça. Foram exonerados todos os ocupantes dos cargos estratégicos da pasta que estavam nos postos durante a invasão das sedes dos Três Poderes, no domingo (8).

Após os atos de vandalismo, o ex-secretário de Segurança e ex-ministro da Justiça Anderson Torres foi exonerado das funções e preso no último sábado (14). Torres ainda não prestou depoimento sobre sua suposta omissão em relação às invasões e à depredação do Planalto, do Supremo Tribunal Federal e do Congresso.

Publicidade

Celina no comando do DF

Celina foi eleita vice-governadora nas últimas eleições na chapa com Ibaneis Rocha. Ela assumiu o Governo do DF depois que Ibaneis foi afastado do cargo a pedido do ministro Alexandre de Moraes, após os atos de vandalismo nos prédios do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do STF.

A decisão que afastou Ibaneis por 90 dias foi confirmada pela maioria dos ministros do Supremo em 11 de janeiro.

Segundo o governador afastado, pode ter havido sabotagem de policiais militares durante o ato em Brasília. Por meio dos advogados que o representam, Alberto Toron e Cléber Lopes, Ibaneis alega ter recebido informações incorretas sobre as ações de segurança na Esplanada dos Ministérios no dia em que extremistas vandalizaram as sedes dos Três Poderes.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.