Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

'No meu governo, não foi demarcada terra indígena', comemora Bolsonaro

Em conversa com apoiadores, presidente também celebrou ter retirado dinheiro de 'ONGs do MST'. 'Não tem mais MST', afirmou

Brasília|Sarah Teófilo, do R7, em Brasília


Presidente da República, Jair Bolsonaro
Presidente da República, Jair Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, comemorou nesta sexta-feira (11), em conversa com apoiadores, o fato de que nenhuma terra indígena foi demarcada desde que assumiu o governo, em 2019. "No meu governo, não foi demarcada nenhuma terra indígena. No meu governo, nenhuma terra indígena foi demarcada. Já temos 14% do Brasil demarcado", afirmou.

A política indigenista do governo é amplamente criticada por organizações e entidades que defendem os direitos dos povos indígenas. No ano passado, o presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marcelo Xavier, defendeu na Câmara dos Deputados a produção econômica em terras indígenas, algo criticado por ambientalistas. A exploração também é defendida pelo presidente.

Também a apoiadores, Bolsonaro celebrou ter retirado dinheiro do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra). "Não tem mais MST. Número de invasões é menos de dez por ano e resolvido rapidamente. Demos o porte de armas para o fazendeiro. Sempre defendi o povo bem armado", afirmou.

No Congresso Nacional, o governo ainda busca aprovação de projeto para ampliar o acesso a armas no país, uma grande bandeira da campanha do presidente da República na eleição de 2018. Está no Senado um projeto de lei que altera o Estatuto do Desarmamento, aprovado na Câmara dos Deputados em novembro de 2019, flexibilizando o acesso a armas por parte de CACs (caçadores, atiradores e colecionadores). Houve tentativa de aprovação da matéria no fim do ano passado, mas sem sucesso.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.