Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Oposição pede afastamento de relatora da CPMI do 8/1 sob argumento de parcialidade

O presidente do colegiado negou ter poderes para realizar a suspensão; Eliziane Gama alega 'malabarismo' dos oposicionistas

Brasília|Bruna Lima e Giovana Cardoso, do R7, em Brasília

Para senadora, manobra 'não vai colar'
Para senadora, manobra 'não vai colar' Para senadora, manobra 'não vai colar'

Parlamentares da oposição pediram nesta terça-feira (19) a suspensão da relatora da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do 8 de Janeiro, Eliziane Gama (PSD-MA), sob a justificativa de parcialidade por parte da senadora. O presidente do colegiado, o deputado Arthur Maia (União-BA), negou ter poder para decretar tal medida e acusou os solicitantes de tentar pôr a "opinião pública" contra ele. Eliziane, por sua vez, chamou o movimento de "manobra" que "não vai colar". 

O pedido, feito por meio de uma questão de ordem, foi lido pelo senador Izalci Lucas (PSDB-DF). "A conduta de um relator que possa comprometer a imparcialidade e a integridade de uma investigação pode ser questionada com base em princípios éticos e nas regras gerais de funcionamento das Casas Legislativas", justificou o senador. "Apresento questão de ordem para suscitar a suspensão da relatora dessa comissão parlamentar, uma vez que sua imparcialidade resta comprometida, e, por conseguinte, promover o afastamento", completou. 

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Maia sustentou que não encontrou, no pedido, nenhuma punição que possa ser dada pelo presidente da CPMI "a quem quer que seja". "Se eu não tenho poder para isso, não posso me arvorar", afirmou, ressaltando nunca ter visto nenhum relator ser destituído. Segundo o presidente, a cobrança é política e tem o objetivo de "jogar a opinião pública contra mim". Por fim, o deputado sugeriu que a oposição recorresse à Justiça. 

No pedido, a oposição sustenta que Eliziane teria preparado previamente as perguntas feitas por ela ao general Gonçalves Dias, ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. A relatora chamou o movimento de "manobra que não se sustenta". "Não vai colar, porque não existe isso", afirmou. 

Publicidade

"O que os colegas da oposição estão colocando aqui, tentando colar, não vai colar, porque não existe isso. Olha o malabarismo que eles estão criando aqui. Nenhum depoimento, nenhum depoente que vem até aqui saiu daqui sem ouvir perguntas da minha parte", disse Eliziane. 

A oposição acusa a relatora de já ter um parecer pronto antes mesmo de ouvir os depoentes e alega que ela favorece o atual governo. Por isso, o grupo trabalha na elaboração de um relatório paralelo, que deve alegar omissão por parte da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao não impedir as invasões dos prédios dos Três Poderes. 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.