Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Tranquilo', diz Ibaneis sobre depoimento em ação que investiga eventos do 7/9

Ação do Tribunal Superior Eleitoral investiga a origem de recursos usados no bicentenário da Independência em 2022

Brasília|Yuri Achcar, da Record TV

Ibaneis não fará outros comentário por conta do sigilo
Ibaneis não fará outros comentário por conta do sigilo Ibaneis não fará outros comentário por conta do sigilo

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou ter sido “tranquilo” o depoimento que prestou nesta segunda-feira (21) na ação que investiga a origem de recursos usados no bicentenário da Independência em 2022. Ibaneis deixou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por volta das 10h35 e disse que não fará outros comentários, pelo sigilo da ação.

" gallery_id="6136b9b04b4955cda2000bc7" url_iframe_gallery="noticias.r7.com/brasilia/tranquilo-diz-ibaneis-sobre-depoimento-em-acao-que-investiga-eventos-do-79-21082023"]

O depoimento partiu de uma determinação do ministro do TSE Benedito Gonçalves, em ações que pedem a inelegibilidade do ex-presidente Jair Bolsonaro. Ibaneis, que estava na condição de testemunha, foi acompanhado de seu advogado e consultor jurídico.

Leia mais: Ibaneis, Capelli e ex-diretor da Abin serão testemunhas em processo contra cúpula da PMDF

Publicidade

Além de Ibaneis, o governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro (PL), e o senador Ciro Nogueira (PP) também serão ouvidos na ação que investiga o suposto desvio de finalidade das comemorações do evento que teria sido planejado de modo a impulsionar atos de campanha eleitoral dos então candidatos à Presidência e Vice-Presidência Jair Bolsonaro e Walter Braga Netto.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

O ministro ordenou ainda que eles apresentem documentação que demonstre a origem dos recursos utilizados para o custeio dos atos de campanha realizados em Brasília e no Rio de Janeiro em 7 de setembro do ano passado, o que inclui a montagem da estrutura utilizada para comícios.

De acordo com a decisão, o Governo do Distrito Federal deve apresentar atos administrativos que cuidaram da segurança na área da Esplanada dos Ministérios em 7 de setembro de 2022, assim como o ato que autorizou o ingresso do trio elétrico utilizado pela campanha de Jair Bolsonaro e Braga Netto na área.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.