Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

Gato tatuado em prisão é adotado e recebe novo lar

O felino foi vítima de maus-tratos em uma prisão localizada em Ciudad Juárez, no México. O animal ficou conhecido pelo nome de Narco...

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Um gato da raça sphynx que estava sendo criado por presidiários em Ciudad Juárez, no México, foi adotado. 

O felino foi vítima de maus-tratos, marcado com o símbolo de um grupo de traficantes mexicanos em uma tatuagem, e passou a ser conhecido como Narco Cat (gato do tráfico, em português). 

Os agentes encontraram o animal durante uma ação de revista nas celas. Juntamente com o gato, diversos itens proibidos foram descobertos, como instrumentos musicais, tênis de marcas, além de um touro mecânico.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe do nosso grupo no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Publicidade

Devido à falta de pelos da espécie, os presidiários tatuaram o felino com a frase "feito no México", marca de um grupo de narcotraficantes mexicanos. A pele do animal também foi marcada por uma bandeira pirata. 

Animal está saudável

Embora tenha sofrido maus-tratos, os veterinários constataram que o estado de saúde do gato era normal. Foi preciso apenas cuidados especiais para tratar uma inflamação em um dos olhos e em um dos ouvidos.

Publicidade

Ao ser colocado para adoção, cerca de 10 pessoas manifestaram interesse em adotar o pet. No entanto, apesar de informar que o novo lar do animal fica no estado norte-americano do Texas, o novo tutor preferiu não ter a identidade revelada.

Em uma nota compartilhada pelas autoridades mexicanas, foi informado que o novo dono possui espaço suficiente para o gato, além de também criar outro felino da raça sphynx.

Publicidade

Polícia apura como gato foi parar em presídio

De acordo com a Polícia Mexicana, investigações ainda estão sendo realizadas com o objetivo de descobrir como o animal foi levado para dentro do presídio. 

A suspeita das autoridades é que o gato pertencia ao traficante Ernesto Alfredo Piñón de la Cruz, chamado de El Neto.

Em janeiro deste ano, o governo informou que o traficante foi morto em confronto, após uma operação de resgate o tirar da prisão, junto com 30 detentos. 

*Com informações do Portal R7.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.