Folha Vitória Segurança do comércio: Patrulha da Comunidade volta com 170 PMs na Grande Vitória

Segurança do comércio: Patrulha da Comunidade volta com 170 PMs na Grande Vitória

O anúncio foi realizado nesta quinta-feira (26), pelo governador Renato Casagrande, e o foco será na segurança do comércio

Folha Vitória
Foto: Hélio Filho/Secom
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Operação Patrulha da Comunidade será retomada na Grande Vitória e contará com a atuação de 169 policiais em escala extra. O foco dos militares será nas áreas comerciais e de grande circulação de pessoas na Região Metropolitana da Grande Vitória.

O anúncio foi realizado na manhã desta quinta-feira (26), pelo governador Renato Casagrande. A Patrulha da Comunidade funcionou de 2013 até o ano de 2017, quando houve uma reestruturação da Polícia Militar no Espírito Santo.

Os locais que serão atendidos foram selecionados com base nas estatísticas de crimes contra o patrimônio, elaboradas pela Gerência do Observatório da Segurança Pública (Geosp), da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp).

Os policiais terão uma atuação operacional na modalidade de policiamento ostensivo a pé e ciclopatrulhamento, em duplas, nas regiões definidas, com apoio de uma viatura, sem prejuízo dos demais recursos ordinários e extraordinários já utilizados, nos municípios de Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica, no período de segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 20h.

“Estamos retomando a Patrulha da Comunidade. Vamos iniciar com os quatro maiores municípios. Em novembro, mais policiais começam a atuar e em setembro uma nova turma de soldados inicia o curso de formação”, afirmou o governador.

Leia mais: Mais de 10 lojas de celulares foram assaltadas na Grande Vitória em 2021

Casagrande destacou que a Patrulha da Comunidade é um trabalho de proximidade com a população e que desde 2019 há um resgate da área da segurança pública enfrentar os diversos tipos de crime com mais intensidade.

“Os policiais vão se contatar com os moradores e lojistas, estando presentes de acordo com o mapa de crime e a intensidade do comércio. A ideia é reduzir os crimes contra patrimônio. Contudo, não será apenas a polícia que vai resolver esse problema. O trabalho social é também fundamental para reduzir esse tipo de ocorrência e recentemente abrimos mais vagas de acolhimento na Rede Abraço, pois as pessoas em situação de rua merecem atenção”, completou.

Patrulha da Comunidade surgiu em 2013

A Polícia Militar do Espírito Santo instituiu, no ano de 2013, o projeto Patrulha da Comunidade, essencialmente voltado para a atuação em bairros com maior incidência de crimes contra o patrimônio, em quadrantes predeterminados, executando o policiamento comunitário-interativo orientado para a solução de problemas.

No início de 2014, o projeto Patrulha da Comunidade teve a atuação ampliada para aglomerados definidos pelo programa Estado Presente em Defesa da Vida, abrangendo também áreas de crimes contra a vida.

Em 2017, houve uma reestruturação do projeto Patrulha da Comunidade nos Batalhões e Companhias Independentes, a fim de fortalecer o policiamento ostensivo e preventivo, baseado na filosofia do policiamento comunitário de estabelecimentos comerciais e em locais de elevada concentração e circulação de pessoas.

O objetivo era de reduzir os crimes contra o patrimônio. A atuação nesse modelo continua se mostrando necessária, em especial nas Unidades Operacionais do CPOM, com foco nos municípios da Grande Vitória.

Últimas