Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Criação de empregos com carteira assinada tem melhor resultado para abril desde 2013

País gerou saldo de 240 mil vagas formais no mês passado, indica Ministério do Trabalho

Economia|Giovana Cardoso, do R7, em Brasília

É possível se candidatar no site do Cate
Dados foram divulgados nesta quarta pelo MTE (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O Brasil abriu 240.033 vagas de trabalho com carteira assinada em abril. O saldo é resultado de 2.260.439 de admissões e 2.020.406 de desligamentos. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (29) pelo Caged (Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. O índice representa o melhor resultado para o mês desde 2013, quando o saldo estava em 256.225.

Veja mais

Os números representam uma variação de 32% em relação ao mesmo mês de 2023, quando o saldo de empregos formais registrou 181.761. No acumulado do ano, o saldo foi de 958.425 empregos, resultado de 8.904.070 admissões e 7.945.645 desligamentos.

A maioria dos empregos formais criados em abril deste ano veio do setor de serviços, com 138 mil vagas, da indústria, com 35 mil postos de trabalho gerados no mês, e da construção (31 mil postos). Na sequência, aparece o setor da agropecuária, com 6 mil vagas criadas.

A pesquisa indica que em abril, o estoque, relativo à quantidade total de vínculos celetistas ativos, foi de 46.475.700, o que representa uma variação de +0,52% em relação ao índice do mês anterior.

Publicidade

Salário

O salário médio real de admissão em janeiro foi de R$ 2.126,16, apresentando alta de 1,7% em comparação com o mês anterior, um aumento real de +R$ 36,96 no salário médio de admissão.

O Sudeste foi a região com a maior remuneração média de admissão do país (R$ 2.270,30). Em seguida, aparecem o Sul, com R$ 2.076,17, e o Centro-Oeste, com R$ 1.984,04. Nas últimas posições, ficaram Nordeste (R$ 1.840,03 1,65) e Norte (R$ 1.847,46).

No mês passado, as cinco regiões brasileiras apresentaram saldo positivo, com destaque para a região Sudeste, que criou 126 mil empregos formais. Em contrapartida, o Norte foi a região que menos teve crescimento (15 mil novos postos).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.