Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Governo inclui Correios, Telebrás e mais 7 em pacote de privatizações

Governo estima que a estatização das 17 empresas incluídas Programa de Parcerias e Investimentos devem render até R$ 2 trilhões aos cofres públicos

Economia|Do R7, com Agência Estado


Novas empresas devem render R$ 700 bi ao governo
Novas empresas devem render R$ 700 bi ao governo

O governo federal adicionou nesta quarta-feira (21) nove novas estatais no pacote de privatizações articuladas para os próximos meses. A decisão inclui à lista do programa de desestatização as companhias ABGF, Emgea, Serpro, Dataprev, Ceagesp, Codesp, Ceitec, Telebrás e Correios.

Com a decisão, o PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) agora é composto por 17 empresas estatais. Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro disse que as privatizações começarão pelos Correios.

Brasil tem empresas estatais demais? 5 perguntas sobre privatização

As novas empresas incluídas no PPI devem render mais R$ 700 bilhões ao plano de privatizações. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, estima que agora o pacote vai resultar em investimentos "próximos" de R$ 2 trilhões aos cofres públicos.

Publicidade

Confira a lista das estatais que devem ser privatizadas

Já presentes no programa:

• Casa da Moeda;

Publicidade

• Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais);

• CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos);

• Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.);

• Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo);

• EBC (Empresa Brasil de Comunicação);

• Eletrobrás;

• Lotex (Loteria Instantânea Exclusiva).

Novidades:

• Emgea (Empresa Gestora de Ativos);

• ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);

• Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);

• Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);

• Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);

• Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).

• Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);

• Telebrás;

• Correios.

Questionado sobre a possível inclusão da Petrobras em uma lista futura, Lorenzoni disse que a petroleira é uma empresa global e há ainda a necessidade de mais estudos sobre eventual processo.

"Não temos ainda uma definição do Ministério [de Minas e Energia], do governo e da empresa, de colocarmos como um todo no PPI", afirmou o ministro.

Área social

Além de incluir nove empresas no Programa de Parcerias de Investimentos, o governo federal anunciou serão alvo de estudos com o objetivo de atrair investimentos privados.

O governo irá se debruçar sobre projetos voltados para a universalização do saneamento, creches, unidades prisionais, iluminação pública para enfrentamento à criminalidade, atendimento socioeducativo, recuperação energética de resíduos e sólidos urbanos.

61% são contra privatização da Petrobras e 55% contra dos Correios

Os estudos irão envolver os ministérios da Educação, da Justiça, da Mulher e Direitos Humanos, do Desenvolvimento Regional e do Meio Ambiente.

A parceria privada nas creches, segundo o governo, tem potencial de envolver questões como a finalização das obras e contratação de professores. Durante a coletiva, foi dito que há mais de mil creches inacabadas em todo o Brasil onde foram alocados recursos públicos.

As novidades foram anunciadas em coletiva após a 10ª reunião do Conselho do PPI. Segundo Onyx, assim que forem finalizados estudos do Ministério da Saúde, as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) também poderão ser incluídas no programa.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.