Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Governo melhora projeção do PIB em 2022 de 1,5% para 2%

Equipe econômica também revisou de 7,9% para 7,2% a expectativa de inflação no acumulado dos 12 meses finalizados em dezembro

Economia|Do R7


Ministério da Economia atualizou expectativas sobre inflação e PIB em 2022
Ministério da Economia atualizou expectativas sobre inflação e PIB em 2022

A SPE (Secretaria de Política Econômica), órgão ligado ao Ministério da Economia, aumentou a estimativa de crescimento do Brasil neste ano de 1,5% para 2%, de acordo com o Boletim Macrofiscal divulgado nesta quinta-feira (14).

Para 2023, o relatório mantém a aposta de que o PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos os bens e serviços produzidos no país — crescerá 2,5% na comparação com o dado final deste ano.

Para a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a previsão da equipe econômica caiu para 7,2% em 2022, ante 7,9% da projeção feita em maio. Para 2023, o patamar foi de 3,6% para 4,5%.

A previsão de alta menor dos preços surge no momento em que estados reduzem a alíquota do ICMS sobre gasolina e energia elétrica — após o governo federal ter zerado o PIS/Cofins sobre a gasolina e o etanol até o fim deste ano. Na avaliação das instituições, o alívio deve ser sentido no bolso das famílias somente até o fim de 2022.

Publicidade

Mesmo menor, a nova expectativa representa que o IPCA chegará ao fim deste ano próximo ao dobro da meta estabelecida pelo governo para o período, de 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto (de 2% a 5%).

O próprio BC já admite que o índice oficial de preços vai furar o teto da meta preestabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) pelo segundo ano seguido, conforme dados apresentados na última edição do RTI (Relatório Trimestral de Inflação).

Já a projeção para o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador usado para corrigir o salário mínimo, aposentadorias e despesas do governo, caiu de 8,1% para 7,41%. Para 2023, a estimativa passou de 3,7% para 4,86%.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.