Economia Indústria de latas de alumínio para bebidas cresce pelo 5º ano seguido

Indústria de latas de alumínio para bebidas cresce pelo 5º ano seguido

Aumento no número de pedidos de entrega no país inteiro e necessidade de embalagens resistentes e práticas fizeram setor produzir 33,4 bilhões de unidades em 2021

  • Economia | Do R7

Brasil recicla quase todas as suas latinhas

Brasil recicla quase todas as suas latinhas

Pixabay

As mudanças de comportamento impostas pela pandemia de Covid-19 foram ruins para quase toda a economia, mas positivas para alguns setores. Um exemplo ocorreu com o segmento de latas de alumínio para bebidas, que teve em 2021 o quinto crescimento anual consecutivo, com 5,2% mais vendas que em 2020.

Com o isolamento social aumentou o número de pedidos de entrega no país inteiro. Mais motos e bicicletas de delivery nas ruas precisavam de embalagens resistentes, que evitassem prejuízos a lojistas e consumidores. Daí o sucesso das latinhas, com faturamento de R$ 18,3 bilhões no ano passado e 33,4 bilhões de unidades consumidas.

Segundo a Abralatas (Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio), o consumo dessas latas subiu 80% em uma década, de 2011 a 2021. 

“Tivemos um ano de crescimento no mercado de cervejas e nas plataformas de delivery, justamente o produto e o canal de vendas em que a lata se destaca pela segurança, praticidade e conveniência”, analisou o presidente-executivo da Abralatas, Cátilo Cândido.

A associação diz que existem no Brasil mais de 20 tipos de bebidas vendidas nessas embalagens. Entre as opções estão, além de cervejas, refrigerantes e sucos, cachaça, vinho, água e café.

“O brasileiro quer cada vez mais variedade de bebidas, rótulos, tamanhos e formatos. Um exemplo disso é o crescimento das latinhas mais finas (sleeks e slims), que acompanhou muito bem o bom desempenho que o mercado das cervejas premium vem tendo no Brasil”, explica o presidente da Abralatas.

O setor abriu cinco novas fábricas no país nos últimos três anos (são 24 no total) e são esperadas mais quatro unidades até o fim de 2023.

O Brasil é o terceiro maior mercado mundial de latas de alumínio para bebidas, atrás somente da China e dos Estados Unidos.

Em reciclagem, o país deixa para trás quase todos os concorrentes. Mesmo com o aumento do consumo, mais de 95% das latas brasileiras são reaproveitadas. Nos EUA, esse número está em 59%. Na Europa, são 67%.

Últimas