Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Preço médio da gasolina comum cai até R$ 1,81 em um ano nos postos

Valor médio do litro, que chegou a bater o recorde de R$ 7,30 em maio do ano passado, agora está em R$ 5,49, segundo a ANP

Economia|Do R7

Valor do diesel teve queda de 21,2% em um ano
Valor do diesel teve queda de 21,2% em um ano Valor do diesel teve queda de 21,2% em um ano

O preço médio da gasolina comum variou até 23,4% nos últimos 12 meses nos postos do país. Para abastecer o carro, o motorista pagou R$ 5,49 por litro do combustível na última semana, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural). Ou seja, R$ 1,81 a menos do que o valor cobrado em maio de 2022, quando chegou a bater o recorde de R$ 7,30. 

O movimento de queda atinge também o diesel S-10, que recuou de preço pela 14ª semana consecutiva e atingiu R$ 5,57 por litro entre os dias 7 e 13 de maio. No mesmo período do ano passado, o litro chegou a R$ 7,07, uma queda de 21,2% nos últimos 12 meses.

A queda dos preços dos combustíveis é um reflexo do recuo das cotações internacionais do petróleo e da redução do dólar, explica o economista Robson Gonçalves, professor de MBAs da FGV (Fundação Getulio Vargas). A moeda americana fechou nesta segunda-feira (15) a R$ 4,88, o menor nível desde 7 de junho de 2022. 

"Apesar de alguns cortes que foram promovidos recentemente, os preços do petróleo não estão se sustentando muito acima da faixa de 70 dólares o barril. Se nós voltarmos a meados de janeiro deste ano, esse preço era da ordem de 84 e 85 dólares. Ele chegou a subir a esse patamar em meados de abril por conta do corte da Arábia Saudita, mas voltou a cair, e está hoje em torno de 72 e 73 dólares. Essa queda é importante e é uma queda tendencial, porque a economia mundial está crescendo menos que o esperado", afirma o economista.

Continua após a publicidade

Leia também

"Ao mesmo tempo a taxa de câmbio vem recuando no Brasil nas últimas semanas a partir de um patamar bastante alto, que chegou durante a pandemia a se aproximar dos R$ 6. Hoje, está abaixo dos R$ 4,90. Como a Petrobras continua com sua política de paridade com os preços internacionais, esse somatório de queda dos preços internacionais e queda do dólar no Brasil explica o recuo do preço da gasolina", acrescenta Gonçalves.

Segundo dados dos importadores, a gasolina vendida pela Petrobras está atualmente R$ 0,39 por litro acima da paridade de importação, e o diesel, R$ 0,28 mais caro, o que abre espaço para mais redução de preço. Na úlima sexta-feira, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, afirmou que a empresa poderá reajustar os valores nesta semana. 

Continua após a publicidade

"Acredito que, como a taxa de juros americana não deve continuar subindo, tudo indica que, por conta da crise bancária, o banco central dos EUA vai parar de elevar as taxas. Com isso, como a taxa de juros brasileira permanece muito alta, a gente tende a atrair mais capitais estrangeiros. Isso faz aumentar a oferta de dólares no Brasil. A tendência são novos recuos do dólar, que vão abir espaço para novos cortes dos preços dos combustíveis pela Petrobras", avalia o economista da FGV.

Fonte: ANP
Fonte: ANP Fonte: ANP

Em março, o preço da gasolina teve reflexo da volta da cobrança dos impostos federais PIS/Cofins sobre os valores do combustível nas refinarias. Esses tributos são repassados ao consumidor final, na ponta da cadeia de consumo.

Continua após a publicidade

Para Brendon Rodrigues, head de inovação e portfólio na ValeCard, outro fator que também tem impactado o preço da gasolina é o repasse pelos postos da redução do etanol anidro registrada nas usinas produtoras de São Paulo desde 24 de abril. “Para as próximas semanas, visualizo que ainda há espaço para que essa redução continue sendo repassada para o consumidor”, avalia Brendon. 

O etanol anidro é misturado à gasolina comum e representa 27% de sua fórmula. Por isso, a variação de preços do combustível renovável tem influência no preço da gasolina. Segundo o indicador Cepea/Esalq, o preço do etanol anidro nas usinas produtoras de São Paulo caiu 11,92% desde o dia 24 de abril.

Os dados da inflação oficial divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na semana passada mostraram que o preço dos combustíveis recuou 0,44% no mês de abril, a primeira queda desde dezembro do ano passado (-0,9%).

A variação negativa apurada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) foi puxada pelos valores mais baixos cobrados pelo óleo diesel (-2,25%), pelo gás veicular (-0,83%) e pela gasolina (-0,52%). Por outro lado, o etanol está 0,92% mais caro.

Política de preços

A Petrobras informou no domingo (14) que está discutindo internamente alterações em suas políticas de preço para diesel e gasolina, que serão analisadas pela diretoria executiva da companhia nesta semana e poderão resultar em uma nova estratégia comercial para a definição de preços de diesel e gasolina.

Atualmente, a política de preços da estatal é atrelada ao mercado estrangeiro. Ou seja, se o óleo encarece ou o dólar (principal moeda no exterior) se valoriza em relação ao real, a Petrobras dá a ordem, em forma de reajuste, para que fique mais caro encher o tanque no Brasil. Essa política é chamada de PPI (preço de paridade internacional).

"Nesse sentido, a companhia esclarece que eventuais mudanças estarão pautadas em estudos técnicos, em observância às práticas de governança e os procedimentos internos aplicáveis", afirmou em nota.

Como é a composição do preço do litro da gasolina

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.