Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Retirada de R$ 11,7 bilhões em maio faz poupança ter 5º mês de perdas

Aplicação recebeu R$ 285 bilhões em depósitos, enquanto as retiradas feitas pelos clientes totalizaram R$ 295,5 bilhões

Economia|Do R7, com Reuters


Em maio, a poupança teve retiradas de R$ 5,7 bilhões
Em maio, a poupança teve retiradas de R$ 5,7 bilhões

Em maio, a caderneta de poupança registrou retirada de R$ 11,7 bilhões, informou o BC (Banco Central) nesta terça-feira (6). É o quinto mês seguido de perdas líquidas da aplicação, que recebeu R$ 285 bilhões em depósitos, enquanto teve resgates de R$ 295,5 bilhões. Os saques superaram os depósitos no SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) em R$ 10,4 bilhões. Da poupança rural, as saídas foram de R$ 1,3 bilhão.

Em abril, a caderneta de poupança havia registrado retirada de R$ 6,2 bilhões. Em maio de 2022, houve depósitos líquidos de R$ 3,515 bilhões, e o investimento teve resultado positivo (o que também aconteceu apenas em dezembro), com volume de depósitos, R$ 336,66 bilhões, superior ao de resgates, que foi de R$ 333,15 bilhões. 

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Em 2023, ainda não foi registrado resultado positivo, e a poupança acumula perda de R$ 69,232 bilhões. Com os juros elevados, a competitividade da caderneta está reduzida, na comparação com outros investimentos.

O diretor de Política Econômica do BC, Diogo Guillen, afirmou nesta terça, em entrevista, que a autarquia está sempre estudando a rentabilidade da poupança para deixar a aplicação "rentável e sustentável", e que leva em conta os impactos agregados.

Publicidade

A aplicação encerrou o ano passado no vermelho, com mais saques que depósitos, e saldo devedor recorde de R$ 103,23 bilhões, no segundo ano seguido de perdas. Foi a pior captação negativa da série histórica; antes disso, a maior perda anual da poupança, de R$ 53,6 bilhões, havia ocorrido em 2015.

Leia também

Com a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, em 13,75% ao ano, muda a forma de rendimento da poupança, que passa a ser remunerada pela TR (taxa referencial), hoje em 0,0828% ao mês (1% ao ano), mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17%). Quando a Selic está abaixo de 8,5%, a atualização é feita com a TR mais 70% da taxa básica de juros, e o rendimento da poupança é maior. 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.