Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Provão Paulista: 1,3 milhão de alunos fazem o novo exame a partir desta semana

Quem estiver no primeiro e no segundo ano do ensino médio também deve fazer a prova para não ser desclassificado

Educação|Vivian Masutti, do R7

Alunos de todo o ensino médio público devem fazer o Provão
Alunos de todo o ensino médio público devem fazer o Provão Alunos de todo o ensino médio público devem fazer o Provão

Cerca de 1,3 milhão de estudantes do ensino médio de todo o estado de São Paulo realizam, entre os dias 29/11 e 4/12, o Provão Paulista Seriado — a nova avaliação do governo do estado que selecionará alunos para cinco instituições públicas paulistas já para o ano que vem.

No total, serão 15.369 vagas. São 1.500 para a USP (Universidade de São Paulo), 934 para a Unesp (Universidade Estadual Paulista), 325 para a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), 2.620 para a Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) e 10 mil para as Fatecs (Faculdades de Tecnologia de São Paulo).

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto

Publicidade

A aplicação do teste ficará sob responsabilidade da Vunesp, a mesma fundação que seleciona professores nos concursos do Governo de São Paulo e alunos para a graduação da Unesp. Veja mais detalhes abaixo:

Alunos de todos os anos do ensino médio deverão participar. Quem não fizer a prova em um dos três anos do ensino médio estará desclassificado, já que a avaliação calcula uma média do que for obtido nessas séries — a exemplo de como funcionam sistemas educacionais internacionais.

Publicidade

Neste ano, será considerada apenas a nota dos alunos no último ano; no ano que vem, será considerada a média das notas nos dois anos anteriores; e, a partir de 2025, serão considerados os resultados nas provas aplicadas ao longo das três séries.

“Será ótimo contarmos com um acesso maior a esses alunos da rede estadual. Algo que o Enem ainda não conseguiu emplacar em São Paulo. Vamos julgar e avaliar os resultados”, afirma Antonio José de Almeida Meirelles, reitor da Unicamp.

“É bom que as universidades paulistas tenham influência sobre o que é dado no ensino médio. Esse impacto pode ser muito importante para nós”, completa.

O processo seletivo continuará tendo vagas específicas para estudantes pretos, pardos e indígenas. Na USP, por exemplo, funcionará assim:

• Total de vagas do Provão: 1.500

• Escola pública em geral: 942

• Pretos, pardos e indígenas vindos de escola pública: 558

Reitor da instituição, Carlos Gilberto Carlotti Junior afirmou, na ocasião de lançamento do programa, que o Provão dará mais oportunidade aos alunos da escola pública.

"Vamos conhecer um pouco mais do seu desempenho durante o ensino médio e, assim, poderemos propor aprimoramentos. Não adianta ficarmos apenas criticando a qualidade do ensino. Agora, somos corresponsáveis por essa melhoria”, disse.

Os estudantes interessados também poderão participar das seleções específicas de cada uma das quatro universidades, como a Fuvest, a principal porta de entrada para a USP.

VEJA MAIS: Eu ou mim? Veja os 11 erros de português mais comuns para evitar nas provas

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.