Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2016
Publicidade

João Leite e Alexandre Kalil disputam 2º turno em BH

Deputado tucano teve 33,40%  dos votos e empresário do PHS, 26,56% 

Minas Gerais|Do R7


Os candidatos João Leite (PSDB) e Alexandre Kalil (PHS) vão disputar o segundo turno para a Prefeitura de Belo Horizonte. O deputado tucano teve 33,40% dos votos e o ex-presidente do Atlético, 26,56%

Em terceiro lugar na disputa ficou o deputado do PMDB, Rodrigo Pacheco (PMDB) com 10,02%, que acabou surpreendendo com uma ascensão acentuada na reta final. Reginaldo Lopes (PT) ficou em quarto com 7,27% e o atual vice de BH, Délio Malheiros (PSD) em quinto com 5,45. Maria da Consolação (Psol) teve 4,11%; Eros Biondini (Pros), 3,9%; Luis Tibé (PTdoB), 3,26%; Sargento Rodrigues (PDT), 2,88%; Marcelo Álvaro Antônio (PR), 2,71%; Vanessa Portugal (Pstu),044%.

Os votos brancos e nulos somaram 21,48%. A abstenção em Belo Horizonte também ficou na casa dos 21,66%.

Ex-goleiro tucano

Publicidade

Ex-goleiro e ídolo entre 1976 e 1989, o deputado estadual João Leite (PSDB) liderou desde o início a corrida pelo cargo de prefeito. O candidato sempre manteve uma distância enre 10 a 12 pontos percentuais do adversário estreante, de acordo com os institutos Ibobe, Datafolha e Paraná Pesquisas.

O ex-atleta e candidato do PSDB, conta com o apoio do senador Aécio Neves e tem os números ao seu favor também em um possível embate no segundo-turno, segundo todos os levantamentos feitos nos últimos dois meses.

Publicidade

O concorrente, que também já defendeu a seleção brasileira, está no sexto mandato na Assembleia de Minas e concorreu duas vezes à Prefeitura de BH, em 2000 e 2004, perdendo em ambas.

Estreante e ex-cartola

Alexandre Kalil, ex-presidente do Galo, alçado a categoria de ídolo graças ao título inédito na Libertadores, em 2013, estreia na política dando trabalho ao tucano e forçando a disputa no segundo-turno.

De temperamento explosivo e língua afiada, o ex-cartola de futebol contou com o carisma que tem frente a torcida e uma linha de propaganda em que afirma que "não é político" e, como a categoria está em baixa junto à população, parece que o mote deu certo.

Kalil com apenas 20 segundos de propaganda na TV, apostou nas redes sociais como aliadas ao contato com o eleitor. É lá, que os internautas ficam a par do que o empresário pretende fazer em BH. E a polêmica postura de Kalil sobre "não construir nada, mas fazer funcionar o que já existe" é onde os adversários mais gostam de bater.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.