Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2022
Publicidade

Nunca houve deflação tão grande no Brasil, diz Bolsonaro em live

Presidente fez a afirmação na noite desta quarta-feira (21) após citar redução na tarifa de energia elétrica e no preço da gasolina

Eleições 2022|Do R7, em Brasília

Jair Bolsonaro ao lado da intérprete de Libras durante live transmitida nesta quarta-feira (21)
Jair Bolsonaro ao lado da intérprete de Libras durante live transmitida nesta quarta-feira (21) Jair Bolsonaro ao lado da intérprete de Libras durante live transmitida nesta quarta-feira (21)

O presidente Jair Bolsonaro disse que "nunca houve deflação tão grande como foi visto no Brasil". A afirmação foi feita durante uma live na noite desta quarta-feira (21) após citar redução na tarifa de energia elétrica e no preço da gasolina. O chefe do Executivo nacional também falou sobre a realização de uma motociata um dia antes do primeiro turno (leia mais abaixo).

"[A tarifa da energia elétrica] caiu em torno de 15%. Isso não foi nenhuma canetada, não foi nenhum 'tarifaço' que nós inventamos, congelar alguma coisa. Foi negociado com o parlamento brasileiro. Tivemos sucesso nisso daí, uma grande atenção por parte do [presidente da Câmara dos Deputados] Arthur Lira na questão da energia elétrica. As contas telefônicas também já começam a ter um valor diminuído, porque foi feito o teto do ICMS", afirmou o presidente.

"O etanol teve um implemento extra. Nós aprovamos, no início deste ano, a venda direta do etanol. Antigamente o usineiro era obrigado a vender para a distribuidora, agora ele pode vender diretamente para o posto de combustível. Temos informações de que usineiros estão comprando postos de combustíveis, para eles, realmente, ter o domínio do preço, o mais baixo possível, com mais lucro por parte deles", disse Bolsonaro.

"Todos ganham com essa inflação domada. A previsão, já no corrente ano, é que a inflação termine na casa dos 6%. Lá fora a inflação vai estar na casa dos 9%", afirmou.

Publicidade

Eventos em Londres e Nova York

Bolsonaro também citou a visita a Londres, neste domingo (18) e segunda-feira (19), para as solenidades de despedida da rainha da Inglaterra Elizabeth 2ª. "É um evento onde você fala pouco. Entre a nossa chegada na missa, uma hora de espera, uma hora e meia de missa e a saída, quatro horas. É cansativo, mas é uma experiência ímpar. Nós fomos prestar nossa solidariedade a um povo e isso ajuda e muito a nossa política."

Sobre a participação na Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, nos Estados Unidos, nesta terça-feira (20), o presidente afirmou que fez um discurso voltado a questões nacionais. "Para nós mostrarmos o Brasil para o mundo, como o Brasil é no seu agronegócio, como o Brasil se apresenta como nação de futuro no tocante à energia limpa."

Publicidade

Leia também

Motociata no dia 1º/10

Na live, o presidente disse que "está sendo discutida uma grande motociada pelo Brasil no dia 1º de outubro", um dia antes do primeiro turno. Para a realização do evento em Brasília, Bolsonaro disse que a logística está sendo definida. "A gente vai convidar o pessoal para dar duas, três voltas na Esplanada dos Ministérios. Tenho certeza que milhares de motos estarão presentes", afirmou.

Lives do presidente

Tradicionalmente, as lives do presidente ocorrem às quintas-feiras, mas, a partir desta quarta, Bolsonaro anunciou a intenção de fazer a transmissão virtual diariamente, "sempre que possível, às 19h". Ele adiantou que não será possível fazer a live nesta quinta diante dos compromissos que terá em Belém e Manaus.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.