Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Hora 7
Publicidade

Tubarões sob efeito de cocaína se comportam de forma assustadora e preocupam cientistas

Segundo pesquisadores, drogas jogadas no mar por traficantes estão alterando ecossistemas litorâneos na Flórida

Hora 7|Do R7


Tubarões sob efeito de cocaína jogada no mar por traficantes estão se comportando de forma estranha e atacando banhistas com mais frequência na costa da Flórida, nos Estados Unidos. Cientistas investigam a situação, que classificam como "preocupante".

As autoridades apontam que criminosos despejam pacotes com drogas no oceano para que possam buscar mais tarde ou, ainda, a fim de escapar da fiscalização dos policiais.

Mas o resultado é um pequeno desastre marinho, que deixa tubarões e outros animais "enlouquecidos e famintos".

Durante uma investigação sobre o assunto, o biólogo marinho Tom Hird avistou um tubarão-martelo e um tubarão-areia se comportarem de maneira bizarra e suspeitou de que eles haviam ingerido alguma substância estranha — além de cocaína, pesquisas apontam a ingestão de metanfetamina e cetamina, todos capazes de alterar o comportamento dos peixes.

Publicidade

Para testar se os animais realmente consumiram as substâncias, os pesquisadores colocaram pacotes com pó de peixe concentrado no fundo do mar, para ver se eles eram atraídos. Para surpresa dos estudiosos, os predadores nadavam direto para morder os sacos.

Até o momento, os estudos não conseguiram confirmar se os tubarões realmente consomem a droga, se foram atraídos pelo cheiro de comida ou se mesmo a substância tem algum efeito neles. Mas a preocupação continua.

Publicidade
Não se sabe ao certe se cocaína realmente afeta os tubarões
Não se sabe ao certe se cocaína realmente afeta os tubarões

"Não sabemos realmente como os tubarões reagem à cocaína. Isso pode torná-los mais dóceis; isso pode desacelerar o movimento deles", afirmou a dra. Tracy Fanara, no documentário Cocaine Sharks (Tubarões da Cocaína), apresentado pelo canal Discovery.

No mesmo documentário, o biólogo marinho britânico Tom Hird afirmou que é praticamente certo que a substância deixe os tubarões mais agitados — e, consequentemente, mais agressivos.

Publicidade

"Incendeia seus cérebros. Foi uma loucura", disse Hird durante as pesquisas.

Especialistas ouvidos pelo site Surfer.com disseram também que, somente em junho, a guarda costeira encontrou mais de 6.300 kg de cocaína flutuando no Caribe e no Atlântico.

Natureza selvagem: registro inédito mostra três orcas devorando um tubarão-branco

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.