Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Bush diz que invasão do Congresso é típica de 'república das bananas'

Ex-presidente dos EUA condenou a manifestação de apoiadores de Donald Trump que invadiram o Capitólio

Internacional|Da EFE


Apoiadores de Trump tentam invadir Congresso dos EUA
Apoiadores de Trump tentam invadir Congresso dos EUA

O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush definiu as imagens da invasão do Congresso por parte de apoiadores do atual mandatário, Donald Trump, como "nojentas" e típicas de "uma república das bananas".

Sem citá-lo diretamente, Bush também acusou Trump, que assim como ele é membro do Partido Republicano, de "inflamar" seus simpatizantes com "falsidades e falsas esperanças".

Último republicano a ocupar a Casa Branca antes da chegada de Donald Trump ao poder, em 2017, Bush disse em comunicado que viu com "incredulidade e consternação" as "cenas de caos" causadas pelo ataque ao Congresso.

"É assim que os resultados eleitorais são contestados em uma república das bananas, não em nossa república democrática", declarou.

Publicidade

"Estou chocado com o comportamento imprudente de alguns líderes políticos desde a eleição e com o desrespeito mostrado hoje a nossas instituições, tradições e autoridades policiais. O violento ataque ao Capitólio e a interrupção das sessões constitucionais do Congresso foram realizados por pessoas cujas paixões foram inflamadas por falsidades e falsas esperanças", acrescentou.

Antes da invasão do Capitólio, Trump havia se dirigido a seus apoiadores em Washington por ocasião da certificação da vitória do candidato democrata Joe Biden no pleito presidencial de novembro, e os incitou com acusações de que foi vítima de fraude eleitoral.

Publicidade

Bush terminou a mensagem falando diretamente aos apoiadores de Trump, ressaltando que o país "é mais importante do que a política do momento" e pedindo que "os funcionários eleitos pelo povo possam fazer seu trabalho e representar nossas vozes em paz e segurança".

Milhares de apoiadores de Trump que estavam hoje em Washington para um comício cercaram o Capitólio, onde o Senado e a Câmara dos Representantes estavam reunidos para oficializar a vitória eleitoral de Biden. Os manifestantes entraram em confronto com a polícia, invadiram o edifício e quebraram janelas e portas.

Pelo menos uma manifestante, que estava desarmada, morreu ao ser baleada, segundo as autoridades.

Embora a prefeitura de Washington tenha ordenado um toque de recolher na cidade, alguns manifestantes ainda permanecem em torno do Capitólio, que está sendo custodiado pela polícia e forças de segurança federais.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.