Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Deslizamento de terra atinge ônibus na Colômbia e deixa ao menos 27 mortos

Fonte local disse que quatro pessoas ficaram feridas e pelo menos outras quatro permanecem soterradas pela avalanche

Internacional|Do R7


Deslizamento atinge ônibus na Colômbia
Deslizamento atinge ônibus na Colômbia

Pelo menos 27 pessoas morreram, incluindo três menores de idade, devido a um deslizamento que atingiu no último domingo (4) um ônibus e outros veículos que trafegavam em uma rodovia em Pueblo Rico, na Colômbia, disse o presidente Gustavo Petro em um balanço recente nesta segunda-feira (5).

Em publicação no Twitter, o presidente prestou solidariedade às famílias das vítimas e disse que "terão o apoio integral do Governo Nacional".

O último balanço de domingo registrava três mortos e cerca de vinte pessoas soterradas pelo desabamento.

Um representante da Unidade Nacional de Gestão de Riscos de Desastres (UNGRD) informou à AFP que quatro pessoas ficaram feridas e pelo menos outras quatro permanecem soterradas pela avalanche.

Publicidade

Dezenas de nadadores continuam a procurar os passageiros de uma moto e do ônibus de serviço público que transportava trinta passageiros, acrescentou a mesma fonte.

O ônibus havia saído da cidade de Cali (sudoeste) na madrugada de domingo e percorreu cerca de 270 quilômetros antes de bater ao cruzar a cordilheira dos Andes a oeste a caminho de Quibdó (noroeste), segundo a Defesa Civil. "A área apresenta dificuldades de comunicação", segundo o UNGRD.

Publicidade

Desde o início de agosto, o país está em estado de "desastre nacional" devido à pior estação chuvosa dos últimos 40 anos, segundo o governo, que deixou 271 mortos e 700 mil afetados no ano passado.

Leia também

As chuvas estão associadas ao La Niña, um fenômeno climático cíclico produzido pelo resfriamento do oceano Pacífico. O aquecimento global ameaça torná-lo mais frequente e mortal, segundo cientistas.

Segundo o Serviço Geológico Colombiano, “o município de Pueblo Rico está sob uma ameaça muito alta devido ao movimento de massa [...] associado ao fenômeno La Niña, que está presente desde agosto de 2020”.

O deslizamento "coloca esta cidade de luto, amanhã pode ser em outra área, porque realmente temos muitas áreas de instabilidade no país, e a estação chuvosa não terminou", disse à mídia o diretor do UNGRD, Javier Pava.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.