Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Distribuidor conta como vendia cocaína de El Chapo nos EUA

Traficante que arrecadou quase 1 bilhão de dólares vendendo cocaína de Chapo nos EUA teve medo de morrer e se entregou às autoridades

Internacional|Fábio Fleury, do R7

Desenho representa depoimento de Pedro Flores no julgamento de El Chapo
Desenho representa depoimento de Pedro Flores no julgamento de El Chapo Desenho representa depoimento de Pedro Flores no julgamento de El Chapo

O julgamento do traficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán prosseguiu nesta terça-feira (18), com o depoimento do principal distribuidor de cocaína do cartel de Sinaloa nos EUA.

Pedro Flores, que se entregou às autoridades norte-americanas em 2008, explicou que abandonou a organização criminosa após o nascimento da filha. Ele e seu irmão gêmeo, Margarito Flores Jr, distribuíam a droga pelo país a partir de Chicago, onde moravam.

Leia mais: Cartel de El Chapo transportava cocaína dentro dos EUA por trem

No depoimento, ele afirmou que vendia cerca de 2 toneladas de cocaína por mês e, com isso, faturava milhões de dólares mensalmente para o cartel. Tanto Pedro quanto Margarito temiam ser mortos por Chapo e passaram a gravar suas conversas com o chefão.

Publicidade

Início na infância

Segundo Pedro Flores, ele e o irmão começaram a atuar no crime ajudando o pai. O Margarito mais velho não sabia falar inglês corretamente e, por isso, levava Pedro e Margarito Jr, então com 7 anos, para ajudar nas traduções.

Publicidade

Com a prisão do irmão mais velho deles, em 1998, eles passaram a ter mais responsabilidades na quadrilha e a ajudar em tarefas mais pesadas, como receber as drogas que vinham por meio de um intermediário, e fazer as vendas.

Leia também

No tribunal, Flores contou que eles decidiram negociar diretamente com o cartel, e conseguiu uma reunião com Chapo em Sinaloa, em 2005. Ele descreveu o encontro e disse que o chefão fez graça com a roupa que ele usava, um shorts jeans.

Publicidade

"Como você ganha tanto dinheiro com as drogas e não consegue comprar uma calça inteira?", perguntou Chapo a Pedro Flores. Na visita seguinte, ele levou um shorts para o chefão, como brincadeira.

Parceria milionária

Começou aí uma parceria que inundou os EUA com as drogas do cartel de Sinaloa e encheu os bolsos de Chapo. Pedro Flores contou que entre 2005 e 2008, recebeu 38 toneladas de cocaína e mandou para o México mais de US$ 800 milhões (cerca de R$ 3,1 bilhões).

Apesar do sucesso nos "negócios", os irmãos se sentiam incomodados pela fama da crueldade de Chapo. Eles viram como o cartel descartava sócios, parceiros e traidores, e decidiram sair.

Após se reunirem com agentes do DEA, eles começaram a fazer áudios de telefonemas e reuniões para entregar aos agentes. Em novembro de 2008, eles se entregaram e estão vivendo no programa de proteção a testemunhas desde então.

Veja o vídeo: El Chapo começa a ser julgado nos EUA nesta segunda (5)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.