Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Moradora de Kiev, capital da Ucrânia, derruba drone russo com pote de tomate

Imprensa do país foi atrás da mulher e garante que informação é verdadeira; ela explicou que, no desespero, ao ver o aparelho invasor, arremessou o que tinha mais perto

Internacional|Do R7


Drone russo estaria checando se havia alguém no apartamento, diz mulher que o derrubou
Drone russo estaria checando se havia alguém no apartamento, diz mulher que o derrubou

Uma moradora de Kiev, capital da Ucrânia, estava fumando na varanda de sua casa quando começou a ouvir o barulho de um motor. Achou estranho, pensou que poderia ser um corvo, mas entrou em desespero mesmo ao perceber que se tratava de um drone, provavelmente russo, segundos depois abatido por um pote de tomate arremessado por ela. 

"Eu estava com medo. E se eles começassem a atirar em mim?", justificou a mulher ao canal de TV Kanal 5.

A moradora de Kiev foi chamada pela reportagem de Elena, nome fictício criado para proteger a identidade da ucraniana, explicou o veículo.

A história foi divulgada no Twitter pela chefe do Centro de Comunicações Estratégicas e Segurança da Informação Lyubov Tsybulskaya, no sábado (5). Ela é especializada em detectar fake news e deu entrevistas à imprensa local sobre mentiras contadas desde o início da invasão da Ucrânia pelas tropas russas.

Publicidade

Em seu tuíte inicial, acima, a especialista diz que o pote era de pepinos, mas a moradora a corrigiu.

"Que pena desses tomates... Eu não sei de onde vieram as histórias sobre pepinos", disse a mulher ao canal ucraniano.

Publicidade

Nesta segunda-feira (7), Lyubov voltou ao assunto para contar que a história era verídica.

"Atualize, pessoal. Nossa mídia encontrou aquela senhora. A história está provada. Com uma pequena correção: foi TOMATE em conserva."

A suposta Elena disse aos repórteres que acredita que o drone fuçava a casa dos moradores e provavelmente seria usado por saqueadores que procuravam apartamentos abandonados na Ucrânia.

Ela disse ainda que se recusa a deixar sua residência, mesmo com o risco de ser vítima dos ataques russos. "Não vou a lugar nenhum. Esta é minha casa, minha terra. Vou ficar de pé e lutar."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.