Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Corpo da décima vítima da tragédia em Capitólio (MG) é identificado

Carmen Pinheiro, de 43 anos, foi a última vítima reconhecida pela Polícia Civil; ela é natural de Cajamar, em São Paulo

Minas Gerais|Ana Gomes, Do R7


Carmen foi a última vítima identificada
Carmen foi a última vítima identificada

A décima vítima do acidente em Capitólio foi identificada na tarde desta segunda-feira (10). Carmen Pinheiro da Silva, de 43 anos, morreu após parte de uma estrutura rochosa desabar e atingir quatro embarcações na região dos cânions do município turístico de Minas Gerais.

Segundo a Polícia Civil, a mulher é natural de Cajamar, cidade do estado paulista. 

Veja quem são as dez pessoas que morreram no acidente: 

1) Júlio Borges Antunes, de 68 anos, natural de Alpinópolis (MG);

Publicidade

2) Camila Silva Machado, de 18 anos, natural de Paulínia (SP);

3) Mykon Douglas de Osti, de 24 anos, natural de Campinas (SP);

Publicidade

4) Sebastião Teixeira da Silva, de 64 anos, natural de Anhumas (SP);

5) Marlene Augusta Teixeira da Silva, de 57 anos, natural de Itaú de Minas (MG);

Publicidade

6) Geovany Gabriel Oliveira da Silva, 14 anos, natural de Alfenas (MG);

7) Geovany Teixeira da Silva, 38 anos, natural de Itaú de Minas (MG);

8) Tiago Teixeira da Silva Nascimento, 35 anos, natural de Passos (MG);

9) Rodrigo Alves dos Anjos, 40 anos, natural de Betim (MG);

10) Carmen Pinheiro da Silva, de 43 anos, natural de Cajamar (SP).

" gallery_id="61dc4d86416eb964fb000e03" url_iframe_gallery="noticias.r7.com/minas-gerais/corpo-da-decima-vitima-da-tragedia-em-capitolio-mg-e-identificado-10012022"]

Investigações

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar o acidente. O delegado Marcos Pimenta, da unidade de Passos, a 352 km de Belo Horizonte, afirmou que serão colhidas informações do dono da lancha, de testemunhas e vítimas que ficaram feridas no acidente.

Sobre a hipótese de que uma obra relacionada a um parque de lazer no cânion tenha influenciado no deslocamento da rocha, o delegado disse que é muito prematuro afirmar algo a respeito.

“Entretanto, a Polícia Civil não vai descartar nenhuma hipótese, mas com cautela, serenidade que o caso impõe”, ressalta.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.