Minas Gerais Funerária troca corpos de vítimas da covid e família se revolta

Funerária troca corpos de vítimas da covid e família se revolta

Familiares descobriram, no velório, que corpo de idoso já tinha sido enterrado em um outro cemitério de Belo Horizonte

Funerária alegou "excesso de serviço"

Funerária alegou "excesso de serviço"

Reprodução/RecordTV Minas

O corpo de um idoso que morreu de covid-19 em um hospital particular de Belo Horizonte foi enterrado no lugar de uma outra vítima da doença, por engano. A funerária Santa Casa, que preparou o corpo, disse que o erro ocorreu por causa do grande volume de serviço, decorrendo do aumento do número de mortes nos últimos dias. 

Entre as mais de 3.300 vítimas da covid-19 em Belo Horizonte está Lair Levindo Soares. O idoso, de 65 anos de idade, estava internado em um hospital particular na capital mineira, mas não resistiu às complicações provocadas pelo coronavírus.

Por falta de vagas no necrotério da unidade, o corpo da vítima foi levado para a Santa Casa de Belo Horizonte. No entanto, a família descobriu, no momento do velório, nesta sexta-feira (2), que o corpo do seu Lair foi enterrado por engano, com o nome de outra pessoa, em um cemitério de Belo Horizonte.

O filho do idoso , Diogo Soares, afirmou que um laudo hospitalar autorizava o velório, já que o período de transmissão do vírus no pai teria passado. A Santa Casa pediu autorização na Justiça para exumar o corpo e entregar à família.

Em nota, a funerária da Santa Casa de Belo Horizonte confirmou o troca de corpos por engano no necrotério do hospital. Os corpos são de um homem e de uma mulher que morreram por complicações de covid-19 na última quinta-feira (1º).

A nota diz ainda que o erro na identificação dos corpos ocorreu em razão do agravamento da pandemia e pelo grande volume de serviços decorrente do aumento no número de óbitos nos últimos dias.

A Santa Casa lamentou o ocorrido e afirmou que, assim que o erro foi constatado, a exumação e a troca dos corpos foram providenciadas. 

Últimas