Minas Gerais Homem que teve imóvel invadido por lama de barragem é indenizado

Homem que teve imóvel invadido por lama de barragem é indenizado

Empresário tinha um sobrado em Barra Longa que pretendia alugar para temporada e recebeu indenização de R$ 110 mil por uma série de danos

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Reprodução / RecordTV Minas

Um empresário que queria alugar seu imóvel em Barra Longa, a 205 km de Belo Horizonte, para temporada mas teve a propriedade invadida pela lama da barragem da Samarco, em Mariana, foi indenizado em R$ 72 mil. 

A decisão é da 2ª Vara Cível de Ponte Nova que condenou não só a Samarco como as controladoras Vale e BHP Billiton a uma indenização de R$ 38 mil por danos materiais, mais R$ 72 mil por danos emergentes e mais um aluguel mensal, cujo valor será estabelecido pela Justiça. 

O homem é proprietário de um sobrado com três andares às margens do Rio Doce e planejava alugar o local para temporada. O imóvel foi invadido pelos rejeitos da mineradora, que chegaram a mais de um metro de altura. Ele perdeu itens como freezers, equipamentos de construção civil e até um acordeon com 30 anos de fabricação, que pertencia a seu pai.  

Antes de entrar com uma ação judicial contra as mineradoras, ele tentou receber uma indenização por meio da Fundação Renova, mas não obteve sucesso. 

Defesa

As mineradoras contestaram o pedido de indenização, e a Fundação Renova argumentou que o empresário residia em Belo Horizonte e não sofreu impacto em sua saúde física e mental ou alteração em seu modo de vida por conta do rompimento da barragem em Mariana.

No entanto, o juiz Bruno Taveira disse que o desastre privou o empresário de dezenas de momentos de lazer em família e impôs a ele o desgosto de ver seu imóvel e pertences históricos destruídos pela lama.

Últimas