Christina Lemos “É a campanha dos tubarões contra os lambaris”, diz Álvaro Dias

“É a campanha dos tubarões contra os lambaris”, diz Álvaro Dias

Candidato do Podemos critica desigualdade na disputa entre os candidatos à Presidência. Para senador, sistema de financiamento torna eleição “anti-democrática”

Alvaro Dias, candidato do Podemos

Alvaro Dias, candidato do Podemos

Adriano Machado/Reuters - 14.8.2018

O candidato do Podemos à presidência da República, Álvaro Dias, fez o mais duro protesto, dentre os concorrentes, contra as regras de financiamento da campanha eleitoral. “Talvez esta seja a campanha mais injusta, desproporcional e anti-democrática que o Brasil já teve”, reclamou. As críticas foram direcionadas principalmente à coligação de Geraldo Alckmin, do PSDB, e a candidatos milionários, com condição de auto-financiamento, como Henrique Meirelles, do MDB, e João Amoedo, do Partido Novo.

Sem citar os nomes de adversários, Dias atacou o que chamou de “coligação Arca de  Noé” - numa alusão indireta à reunião de 8 partidos que apóiam a chapa tucana, o que permitiu que o grupo tivesse direito à maior fatia do bolo de recursos da Fundo Partidário - cerca de R$ 900 milhões. “É o enfrentamento dos tubarões contra os lambaris, nesta campanha”, declarou o senador.

Para Dias, a desigualdade nas condições de disputa está relacionada também ao poder econômico individual. Em referência aos concorrentes que declararam patrimônio milionário à Justiça Eleitoral, o candidato do Podemos afirmou: “parabéns aos que enriqueceram. Mas gastar parte da fortuna pessoal para esmagar os adversários não é justo”.

“Esmola da viúva pobre” - Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, também se queixou da desigualdade entre sua condição financeira e a dos demais candidatos. “É a esmola da viúva pobre. Eles podem estar aqui e em mais 3 estados, voando em jato particular. Eu vou de avião de carreira e pernoito em casa de amigos”. 

As reclamações dos dois candidatos foram feitas publicamente, diante da platéia de empresários do agronegócio, reunidos em Brasília nesta quarta, para a sabatina aos presidenciáveis, promovida pela Confederação Nacional da Agricultura, CNA. 

    Access log