Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Com frota de cinco aeronaves, Solojet projeta crescimento para 2023 

Programa de compartilhamento Solojet Shares, lançado há um ano, caiu no gosto do brasileiro que já tem aeronave e precisa aumentar a disponibilidade 

Luiz Fara Monteiro|Do R7


Solojet: projeção de crescimento
Solojet: projeção de crescimento

A Solojet Aviação, empresa do segmento de aviação executiva, fecha o ano de 2022 com otimismo, com a consolidação do programa de compartilhamento de aeronaves e projeta um 2023 ainda melhor, com a ampliação da frota de compartilhados para 5 aeronaves. “Estamos muito satisfeitos com a receptividade do programa, lançado há pouco mais de um ano, e mais ainda com a possibilidade de termos mais cotas para vender, com a chegada de mais três aeronaves, duas já em preparação e uma em processo de aquisição”, disse André Bernstein, CEO da Solojet Aviação. Segundo ele, não está fácil comprar aeronaves usadas no mercado mundial e a empresa conseguiu mais duas para atender às necessidades dos nossos clientes.

Segundo o executivo, a rápida expansão da frota mostra que estão no caminho certo, tanto do modelo de negócios, o compartilhamento, quanto a escolha da aeronave, o Hawker 400. “O cliente fica muito confortável quando percebe que oferecemos não apenas o compartilhamento, mas o pacote completo de serviços, incluindo uma oficina credenciada para fazer a manutenção, equipe de interiores, capaz de não apenas fazer toda a reforma interna da aeronave, mas ajustar pequenos problemas do dia a dia.”

No programa Solojet Shares, é possível adquirir uma cota da aeronave com valores a partir de US$ 550 mil (25% de participação na propriedade). Dessa forma, a aeronave é dividida entre quatro proprietários, assim como os custos fixos, mas cada um paga apenas os custos operacionais dos próprios voos.

Para quem ainda não conhece, o Hawker 400 é um jato executivo, de modelo robusto e ótima performance e custo-benefício. A aeronave tem capacidade para transportar até oito passageiros na cabine mais confortável e espaçosa da categoria, com 305 pés cúbicos.

Com um teto operacional de 45 mil pés e altitude de cabine de 8.000 pés, o Hawker proporciona voos muito mais confortáveis e com menor turbulência. O modelo atinge velocidade máxima de 450 nós / 833 km/h e tem alcance máximo de 1400 milhas náuticas / 2.592 km. Ou seja, é capaz de fazer um trajeto de São Paulo até Recife sem escalas, por exemplo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.