Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Esquadrilha da Fumaça e Esquadrão Arara marcam 8º Arraiá Aéreo em Bauru

Evento reuniu 125 mil pessoas e contou com acrobacias aéreas, exposições de aeronaves e aeromodelismo

Luiz Fara Monteiro|Do R7


Esquadrilha da Fumaça: 8º Arraiá Aéreo em Bauru
Esquadrilha da Fumaça: 8º Arraiá Aéreo em Bauru

A Força Aérea Brasileira (FAB) marcou presença na 8ª edição do tradicional Arraiá Aéreo – Inspirando Gerações, que aconteceu, nos dias 10 e 11/06, no Aeródromo Municipal Comandante João Ribeiro de Barros (SBBU), também conhecido como Aeroclube de Bauru (SP).

O evento, organizado pela Fundação Astronauta Marcos Pontes (AstroPontes), reuniu 125 mil pessoas e teve como objetivo aproximar as pessoas do mundo da aviação, com acrobacias aéreas, aeromodelismo e exposições de aeronaves.

Na ocasião, dentre as exposições, estiveram presentes o grupo de aeronaves anfíbias Petrel (Esquadrilha Pato), as históricas aeronaves PT-19 e T-6 Texan, Esquadrilha Céu e o Caça F-5 Tiger da FAB. Além disso, o evento contou com atrações musicais, como a Banda do Exército Brasileiro, e barracas de comidas típicas de festa junina.

O Senador e Astronauta Marcos Pontes, que chegou ao local em um T-6 Texan, agradeceu a presença da FAB no evento. “Comecei a pensar na minha carreira, na Força Aérea Brasileira, nesse Aeroclube, vendo um avião como esse, um T-6, da Esquadrilha da Fumaça e, vendo todas essas famílias aqui, enche o nosso coração de alegria. Obrigado Força Aérea por também estar aqui nesse momento”, pontuou.

Publicidade

O Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação (1º/9º GAV) - Esquadrão Arara, sediado na Base Aérea de Manaus (BAMN), deixou o público empolgado ao chegar no evento a bordo do C-105 Amazonas. Segundo o Capitão Aviador Pablo Augusto de Mello Garcia, do 1°/9° GAV, a aeronave é utilizada atualmente em diversas missões operacionais e humanitárias, como a Operação Yanomami, e foi adquirida para substituir a aeronave Buffalo C-115.

O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça, foi a atração mais aguardada pelos apaixonados por aviação. A equipe marcou o último dia de apresentações após realizar um grande show aéreo, com aproximadamente 50 acrobacias durante 40 minutos. O grupo, que incluiu sete pilotos em sete aeronaves A-29 Super Tucano, tem 71 anos de história e acumula mais de quatro mil demonstrações realizadas no Brasil e em 21 países.

Publicidade

Um dos pilotos do EDA, o Capitão Aviador Helton Dos Santos Furlan, ressaltou a importância da presença do Esquadrão na festa. “Para nós é muito bom, principalmente pelo fim que se destina o Arraial, que é inspirar gerações. Isso tem tudo a ver com a nossa missão e atribuições, que é incentivar a mentalidade aeronáutica nos jovens. Eu fico muito feliz porque fui inspirado pela Esquadrilha da Fumaça”, pontuou.

Os visitantes também puderam conhecer o estande da FAB, que contou com o apoio de militares do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) e do Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA IV). O público ainda teve a oportunidade de interagir com cadetes da Academia da Força Aérea (AFA) e profissionais do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Publicidade

Uma atração a parte foi a Turma do Fabinho, que pousou no Arraiá para trazer ainda mais diversão e alegria à criançada, por meio da distribuição de desenhos e gibis. Esse é um projeto desenvolvido pela FAB desde 2010, com o objetivo de apresentar a aviação para crianças de uma forma encantada e divertida, com um conteúdo e uma linguagem própria para os pequenos.

O pequeno Nicolas, de 8 anos, amante e construtor de mini aeromodelos, declarou seu sonho profissional: “estou estudando para ser piloto, por causa da Esquadrilha da Fumaça”, afirmou.

Trajetória

A Esquadrilha da Fumaça nasceu, em 1952, da iniciativa de jovens instrutores de voo da antiga Escola de Aeronáutica, no Rio de Janeiro, que, em suas horas de folga, treinavam acrobacias em grupo, com o objetivo de mostrar aos cadetes a capacidade e segurança da instrução aérea.

A equipe já atingiu três recordes mundiais. O último prêmio foi em 2006, quando 12 aeronaves fizeram um voo de formação no dorso (de cabeça para baixo) por 30 segundos, percorrendo juntas três mil metros. A ação ocorreu na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP).

Com 71 anos, a Esquadrilha da Fumaça é o segundo esquadrão de demonstração aérea mais antigo do mundo e sua principal missão é difundir em âmbito nacional e internacional a imagem institucional da Força Aérea Brasileira.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.