Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Refletindo Sobre a Notícia
Publicidade

Detalhe em performance no Grammy: show de arte ou de horror?

A apresentação polêmica de Sam Smith e Kim Petras repercutiu nas redes

Refletindo Sobre a Notícia por Ana Carolina Cury|Do R7 e Ana Carolina Cury


A performance de Sam Smith e Kim Petras no Grammy tem dado o que falar. A apresentação, anunciada por Madonna, teve direito a um figurino vermelho e um chapéu com chifres, remetendo à ideia do que seria um inferno, com chamas de fogo ao fundo e danças sensuais.

Após a exibição, muitas pessoas a elogiaram nas redes, com comentários como: "Lacrou!" e "Profanos? Não! Talentosos". E outras criticaram o que viram: "Essa performance é literalmente um tributo a Satanás". "Você não precisa ser religioso para ser perturbado por aquela performance de adoração ao demônio de Sam Smith."

Sam Smith e Kim Petras ganharam Grammy de Melhor Performance Pop de Duo/Grupo
Sam Smith e Kim Petras ganharam Grammy de Melhor Performance Pop de Duo/Grupo

Não vou entrar no mérito se eles são, ou não, bons cantores. Mas, com certeza, esse tipo de discussão chama atenção para o tipo de conteúdo que temos valorizado no dia a dia. Porque é fato que eles nos influenciam.

Diversas pesquisas revelam que a música, por exemplo, impacta o comportamento das pessoas. Um estudo alemão da Universidade Luís Maximiliano, de Munique, detalhou que homens e mulheres que ouviram canções com letras ofensivas ao sexo oposto tiveram mais tendência a descrevê-lo com atributos negativos do que aqueles que escutaram músicas neutras.

Publicidade

Outro, da Universidade de Brasília – UnB (Diogo Conque Seco Ferreira, 2007), concluiu que a música pode ser usada como elemento manipulável. Sem falar em tantos outros que apontam que músicas com letras positivas reduzem o estresse e a ansiedade.

Hábitos 

Publicidade

Talvez você já deva ter passado pela mesma experiência que eu... Quantas vezes me encantei com uma música, porém, no momento em que li a tradução dela, deparei com letras ofensivas e erotizadas.

Será que esse tipo de arte reflete a realidade da nossa sociedade? Vale a reflexão...

Performance de Sam Smith e Kim Petras gera polêmica
Performance de Sam Smith e Kim Petras gera polêmica

Com certeza pode ser um "termômetro" apontando para a falta de bom senso do meio musical e a forma como temos enxergado questões como respeito aos direitos, tolerância religiosa etc.

Não podemos confundir ofensa com arte; erotização com respeito; e por aí vai. Por isso, é importante pensar: se temos inúmeras razões para ouvir músicas que edificam, por que não investir nisso?

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.