Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Refletindo Sobre a Notícia
Publicidade

O exemplo de Céline Dion após receber diagnóstico de síndrome rara

Cantora revelou desejo de retornar aos palcos e apareceu de surpresa em premiação

Refletindo Sobre a Notícia por Ana Carolina Cury|Do R7 e Ana Carolina Cury


Uma interrupção não programada. Infelizmente, a cantora Céline Dion teve que dar uma pausa na carreira após ser diagnosticada com uma doença rara e degenerativa, chamada Síndrome da Pessoa Rígida (SPR).

A condição afeta o sistema nervoso central e também induz a rigidez e espasmos musculares, principalmente no tronco e no abdômen. Especialistas explicam que, a longo prazo, pode levar à rigidez generalizada.

Mas, mesmo com esse diagnóstico, a artista canadense de 55 anos revelou que pretende voltar a trabalhar. "Estes últimos anos têm sido um grande desafio para mim, a jornada desde a descoberta da minha condição até aprender como conviver com ela e administrá-la, mas não deixar que ela me defina. À medida que o caminho para retomar minha carreira artística continua, percebi o quanto senti falta de poder ver meu público", destacou em sua rede social.

Céline Dion surpreende plateia ao aparecer de surpresa em Grammy 2024
Céline Dion surpreende plateia ao aparecer de surpresa em Grammy 2024 Reprodução / /Reuters

Ela tornou público o diagnóstico em 2022 e, na época, destacou os principais sintomas. "Enquanto ainda estamos aprendendo sobre essa condição rara, agora sabemos que é isso que está causando todos os espasmos que tenho tido. Infelizmente, esses espasmos afetam todos os aspectos da minha vida diária, às vezes causando dificuldades quando caminho e não me permitindo usar as cordas vocais para cantar como estou acostumada".

Publicidade

A reação que faz a diferença

Com três filhos, mais de 25 discos lançados e cinco troféus do prêmio Grammy, Céline Dion poderia facilmente ter optado por se aposentar e se lamentar, mas ao invés disso, ela escolheu persistir e seguir lutando. Esta semana, a cantora entregou o prêmio mais importante do Grammy para Taylor Swift.

Publicidade

A aparição surpresa emocionou a plateia, que a aplaudiu de pé. "Amo todos vocês de volta. Quando digo que estou feliz de estar aqui, eu realmente digo isso do fundo do meu coração", expressou a cantora.

Somente Céline sabe o esforço que teve que fazer para estar ali, mas sua atitude diz muito sobre a importância das reações diante das dificuldades. Afinal, é comum que, quando enfrentam problemas, as pessoas vivenciem a tentação de se queixar e lamentar. Há tantas que, por muito menos, desistem de buscar um trabalho ou de manter uma visão positiva da vida.

Publicidade

Por isso, é válido questionar se as palavras diárias estão mais voltadas para reclamações e lamentos, ou para expressões de gratidão. Se o hábito de reclamar é frequente, isso é um sinal preocupante, pois quem murmura alimenta um ciclo vicioso e, às vezes, nem percebe o quão negativo se tornou.

Em suas redes sociais, Céline Dion revelou que não vai desistir de lutar
Em suas redes sociais, Céline Dion revelou que não vai desistir de lutar Reprodução/Instagram

Além disso, estudos demonstram que concentrar-se apenas nos aspectos negativos da vida tende a afastar as pessoas. O filósofo e cientista Steven Parton, estudioso sobre o assunto, concluiu que as emoções negativas têm um impacto direto no bem-estar físico e mental. Ele argumenta que muitas pessoas têm dificuldade em progredir na vida devido ao hábito de reclamar constantemente, porque o cérebro reforça cada vez mais esses padrões de pensamento. O resultado? O reclamão tende a vivenciar experiências cada vez mais negativas.

Mudança de padrão

Repensar essa postura é necessário para quem quer mudar de vida. Será que reclamar é necessário ou se tornou um hábito? Vale refletir se é mais produtivo perder tempo reclamando ou lutando para superar o desafio.

Muitas pessoas desistem e se tornam murmuradoras por qualquer coisa que acontece. Vivem a julgar as atitudes dos outros, sem olhar para si mesmas; exalam ódio; desistem quando algo aparenta dar errado, e assim por diante.

Mudar esse padrão comportamental reflete diretamente na qualidade de vida. É claro que não é fácil transformar um hábito enraizado, mas são as decisões diárias que moldam o nosso presente e o nosso futuro. É uma escolha pessoal ceder ao desânimo e culpar os outros pelos problemas, ou reagir de forma otimista e assumir a responsabilidade. 

Expressar gratidão fortalece relações e promove o bem-estar emocional, criando um ciclo favorável de emoções. Já reparou que pessoas infelizes frequentemente são ingratas, enquanto quem pratica atitudes positivas é mais feliz, mesmo enfrentando lutas?

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.