Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Renda Extra
Publicidade

Com alta das dívidas em 2023, veja 7 dicas para quitar as contas

Primeiro passo para sair da inadimplência é fazer uma renegociação, além de criar novos hábitos, orienta educadora financeira 

Renda Extra|Do R7

Consumidores fazem renegociação de dívidas para deixar as contas em dia
Consumidores fazem renegociação de dívidas para deixar as contas em dia Consumidores fazem renegociação de dívidas para deixar as contas em dia

Tanto famílias de baixa renda como as de renda mais alta entraram em 2023 mais endividadas, segundo a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor) divulgada nesta quarta-feira (8) pela CNC (Confederação Nacional do Comércio). 

Os números de janeiro mostram que as famílias com até três salários mínimos de rendimentos começaram o ano proporcionalmente mais endividadas 79,2% ante 76,5% há um ano, enquanto as que ganham mais de dez salários mínimos fizeram mais dívidas em relação ao percentual de 71,2% registrado em janeiro de 2022, atingindo 74,4% neste mês.

As dívidas tendem a virar uma bola de neve, por isso é importante tentar uma renegociação quanto antes e, principalmente, mudar de hábitos para limpar o nome. O alerta é de Bruna Allemann, educadora financeira da fintech Acordo Certo.

“O primeiro passo para sair da inadimplência é fazer uma renegociação, só assim você conseguirá ficar no azul e ter tranquilidade financeira para focar outros projetos. No dia a dia, também é importante criar o hábito de pagar as contas na data correta e planejar os gastos a longo prazo”, afirma a especialista.

Publicidade

Apesar do endividamento das famílias, a inandimplência registrou a primeira queda, após 11 meses em alta. O índice chegou a 69,4 milhões de brasileiros em dezembro de 2022. O indicador ainda é considerado alto, mas representa uma queda de 405 mil pessoas em relação aos números registrados em novembro.

“Ao longo de 2022 promovemos inúmeras ações para ajudar o consumidor a recuperar crédito no mercado”, lembra Aline Maciel, gerente da plataforma Serasa Limpa Nome. “O Feirão, ápice dessas ações, estimulou que parte do 13º salário fosse usada pelos brasileiros para pagar dívidas, reorganizar as finanças, reestabelecer a saúde financeira e retomar crédito”, completa Aline.

Publicidade

Leia também

Por isso, a Serasa orienta a organizar as contas por prioridade, e as que tiverem juros mais altos devem ser pagas primeiro. "Tenha planejamento financeiro e conheça o papel da educação financeira na rotina. Muitos se endividam, não por não ter dinheiro, mas sim por não saber como fazer a divisão das despesas. Saber qual é o valor da renda e dos gastos de cada mês é importante. Só assim é possível definir o padrão de vida e cortar despesas desnecessárias, que ao longo do tempo podem se tornar dívidas", orienta a Serasa.

Confira abaixo mais dicas da educadora financeira e da Serasa para sair do vermelho e acertar as contas em 2023.

Publicidade

1) Encare as dívidas

O primeiro passo a seguir é entender de onde surgiu o problema. Liste todas as dívidas e se programe para começar a quitá-las. Com o passar do tempo, existem acréscimos de juros, e é importante saber o valor exato, para evitar maiores problemas no futuro.

2) Entenda sua renda

Compreender como sua renda funciona é fundamental, já que é com ela que suas dívidas serão pagas. Registre as contas fixas, ganhos mensais e separe um valor para a quitação de inadimplências, assim você mantém o controle de quanto sai e de quanto entra.

3) Crie um limite

Depois de entender seu bolso e suas dívidas, agora é hora de calcular quanto você pode pagar por elas. Use o valor de gastos desnecessários para quitá-las, mas ao entrar em programas de renegociação de dívidas fique atento às parcelas, que podem ser altíssimas. É importante ter em mente um valor estimado de até quanto você poderá pagar sem comprometer o seu orçamento.

4) Imprevistos acontecem

Considere os imprevistos, crie uma reserva de emergência, nunca se sabe o dia de amanhã. Guardar dinheiro como forma de reserva é uma maneira de se preservar de dívidas futuras. 

5) Busque uma renda extra

Se está apertado nas dívidas e sua renda não é suficiente, busque uma renda extra, como venda de artesanatos, bolos e doces ou a prestação de serviços. Procure algo em que seja bom e fique à disposição.

6) De olho nas oportunidades

Na hora de quitar os débitos, é importante ficar de olho em oportunidades disponíveis no mercado que permitam a quitação com descontos e benefícios diferenciados. No caso de acordo parcelado, lembre-se de pagar em dia todas as parcelas, para evitar que o nome fique sujo novamente, além de se manter atento às dicas de educação financeira.

7) Cuidado com as fraudes

Ao tentar limpar o nome, mesmo que não saibamos como as fraudes funcionam, é possível identificar algumas abordagens e fugir delas, então:

• Nunca forneça seus dados a ninguém.

• Desconfie de ofertas muito atraentes que chegam até você via redes sociais, telefone ou emails.

• Evite acessar sites e aplicativos que pedem dados bancários em redes públicas/abertas de internet.

• Não clique em links de origem suspeita, seja por email ou SMS.

• Negocie dívidas negativadas ou contas atrasadas diretamente com o credor ou pelo Serasa Limpa Nome.

• Não pague boletos enviados em nome da Serasa ou qualquer outra empresa se não tiver solicitado.

Fonte: Bruna Allemann, educadora financeira da fintech Acordo Certo, e Serasa

Saiba como sair do vermelho

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.

</