São Paulo Justiça aceita denúncia por tortura contra família de menino em tonel

Justiça aceita denúncia por tortura contra família de menino em tonel

Pai do garoto poderá responder por abandono intelectual, uma vez que não matriculou e não manteve o filho na escola em 2020

  • São Paulo | Do R7

Acorrentado e sem comida em tonel, menino pesava 25 kg

Acorrentado e sem comida em tonel, menino pesava 25 kg

Reprodução/Record TV

A Justiça de São Paulo aceitou a denúncia do Ministério Público por tortura contra o pai, a madrasta e a filha no caso do menino de 11 anos encontrado acorrentado a um barril dentro de casa, em Campinas (SP).

A denúncia do MP-SP, apresentada na última quinta-feira (11) e recebida pela Justiça na sexta (12), cita o resultado do exame de corpo de delito, que apontou lesões causadas pelo tempo em que ele ficou acorrentado pelos pés e pelas mãos.

Se for recebida pela Justiça nos mesmos termos que propôs a promotora Adriana Vacare Tezine, o pai do garoto também responderá por abandono intelectual, uma vez que não matriculou e não manteve o filho na escola ao longo de 2020.

Réus, o pai, a madrasta e a filha estão presos e serão citados nas penitenciárias onde estão, em Tremembé, no interior de São Paulo. O menino está em um abrigo municipal aguardando uma decisão da Justiça sobre sua guarda.

Após uma denúncia anônima, o menino foi libertado pela Polícia Militar de Campinas no último dia 30. Ele estava preso a um tonel, acorrentado pelas mãos e pelos pés. O garoto pesava aproximadamente 25 kg, o peso de uma criança quatro anos mais nova. O pai, a madastra e a irmã mais velha do garoto, suspeitos de praticar os crimes, foram presos em flagrante.

O garoto foi encaminhado ao hospital Mário Gatti para receber tratamento, e recebeu alta para aguardar em um abrigo a decisão da Justiça a respeito de sua guarda.

Últimas