São Paulo Mãe de fotojornalista morto a facadas descobriu morte do filho horas depois de ser despejada

Mãe de fotojornalista morto a facadas descobriu morte do filho horas depois de ser despejada

Família de Felipe Ary de Souza, de 25 anos, não acredita na alegação de legítima defesa do suspeito, que confessou o crime

  • São Paulo | Gabrielle Pedro, do R7

Vinicius Eduardo Santos Savedra e Felipe Ary de Souza

Vinicius Eduardo Santos Savedra e Felipe Ary de Souza

Reprodução/Twitter e Instagram

A mãe de Felipe Ary de Souza, de 25 anos, morto a facadas no dia 8 de março, foi despejada do imóvel em que morava no centro de São Paulo horas antes de descobrir a morte do filho. Ao R7, uma das irmãs do fotojornalista — conhecido como Terremoto — disse que a família não acredita na alegação de legítima defesa apresentada por Vinicius Eduardo Santos Saavedra, de 23, que confessou ter cometido o crime.

Betyswhyty de Souza Jesus, de 35 anos, contou que todos os familiares estão indignados com a decisão da Polícia Civil de São Paulo, que soltou Saavedra. "Ele [Vinícius Saavedra] é transtornado. Ele matou o meu irmão como se ele fosse um animal e deixou o Felipe lá para morrer. Não é possível alguém dar várias facadas, como ele fez, e alegar que aquilo foi legítima defesa. O Felipe era atencioso, pacífico e lutava pelas causas que acreditava", relatou a irmã.

Segundo Betyswhyty, a mãe deles, Betisaida Ivone de Souza, de 62 anos, está desolada. Isso porque horas antes de descobrir a morte do filho caçula, recebeu uma ordem de despejo para deixar o apartamento onde vivia no centro de São Paulo.

Apesar disso, Betisaida está engajada em fazer justiça para Felipe. "Não vamos conseguir tê-lo de volta, mas a gente quer que esse caso seja esclarecido. Minha mãe está se apegando a isso agora para seguir em frente porque o Felipe foi morto de uma forma muito cruel e estava começando a vida dele agora", lamentou.

"Agora, minha mãe está se revezando na casa das filhas enquanto não encontra um novo lugar para morar", completou.

Entenda o caso

Felipe Ary de Souza foi morto durante a madrugada do dia 8 de março enquanto participava de uma confraternização com Vinicius Eduardo Santos Saavedra, a namorada dele — Ivis Scarlet —, e um amigo, identificado apenas como Pepê.

No domingo (12), Vinicius foi preso e admitiu ter cometido o crime, mas alegou legítima defesa. "Querem falar que eu matei o moleque, eu estou aqui para falar que eu matei, sim", disse ele em uma live transmitida nas redes sociais.

Em depoimento, Saavedra disse que o grupo consumiu uma certa quantidade de drogas e bebidas alcoólicas. Durante uma conversa, ele perguntou a Felipe se ele teria coragem de traí-lo e ficar com a sua namorada, Ivis.

Posteriormente, a Secretaria de Segurança Pública confirmou que a Polícia Civil liberou Saavedra para que ele responda ao processo em liberdade.

Últimas