Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

O que se sabe sobre morte do piloto e da namorada no interior de SP? Causas são investigadas

O casal morreu nesta semana, após apresentar subitamente febre, dores e manchas vermelhas pelo corpo

São Paulo|Do R7


Casal teve sintomas de doença transmitida por carrapato
Casal teve sintomas de doença transmitida por carrapato

Os serviços de vigilância sanitária de São Paulo continuam na investigação das causas da morte de Douglas Costa, de 42 anos, e da namorada dele, a dentista Mariana Giordano, na última quinta-feira (8). Os dois óbitos, resultado de sintomas súbitos e simultâneos, fizeram com que o caso se tornasse um mistério para os epidemiologistas de SP e de Minas Gerais.

Quais foram os sintomas apresentados pelo casal?

Segundo familiares e equipes médicas que prestaram os primeiros atendimentos ao casal, os dois apresentaram febre forte e sem razão aparente, dores e manchas vermelhas no corpo.

Douglas Costa, que era empresário e piloto de automobilismo da Copa C300 — organizada pela AMG Cup Brasil —, foi admitido em um hospital particular, mas não resistiu. Já Mariana, que era de São Paulo, recebeu atendimento em uma unidade de saúde da capital, mas também teve complicações e morreu.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no Telegram

A velocidade da evolução dos sintomas e do óbito dificulta a definição da causa da morte do casal. A Prefeitura de Jundiaí enviará na segunda-feira (12) amostras biológicas retiradas na autópsia de Douglas para o Instituto Adolfo Lutz para definição do diagnóstico.

Publicidade

Por onde o casal passou?

A vigilância sanitária confirmou os relatos de que o casal havia estado na zona rural de Campinas antes do dia 3 de junho e em Monte Verde entre os dias 3 e 4 deste mês.

Os sintomas podem levar a diagnósticos como dengue, leptospirose ou febre maculosa. A Secretaria de Saúde de Camanducaia, onde fica o distrito de Monte Verde, afirmou ser "improvável" uma eventual transmissão de febre maculosa no município mineiro, já que não existem casos da doença nem a presença do vetor há mais de 20 anos na região.

Publicidade

Além disso, os sintomas começaram no dia 3 de junho, quando o casal havia acabado de chegar ao município, e, como a febre maculosa tem período de incubação de 2 a 14 dias, caso esse diagnóstico se confirme, a transmissão teria ocorrido anteriormente.

O que é a febre maculosa?

A febre maculosa é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela, que não é o carrapato comum que se encontra em cachorros, por exemplo. A espécie pode ser localizada em animais de grande porte, como bois e cavalos, além da capivara. A transmissão ocorre do carrapato infectado para a pessoa, e não existe transmissão de pessoa para pessoa, como explica o Ministério da Saúde.

A doença é caracterizada pelo conjunto repentino de sintomas, como febre alta e dor no corpo e manchas vermelhas em todo o corpo e também na palma das mãos e na planta dos pés. A doença tem cura, desde que antibióticos sejam aplicados nos primeiros dias dos sintomas; o atraso no diagnóstico pode provocar complicações graves.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.