Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Polícia mexeu em cena após morte de menino de 10 anos, diz perícia

Possibilidade é a de que o menino pode ter sido morto quando tentava descer do carro

São Paulo|Do R7


Menino Ítalo, de 10 anos, foi morto pela Polícia Militar
Menino Ítalo, de 10 anos, foi morto pela Polícia Militar

Policiais militares envolvidos na ocorrência que resultou na morte do menino Ítalo, de 10 anos, alteraram o local onde a criança morreu. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, peritos responsáveis pela investigação dizem que os trabalhos foram dificultados pelo fato de o carro ter sido revirado pelos policiais, o corpo do menino ter sido tirado da sua posição original e o revólver ter sido retirado do local.

No laudo, foram atestados rastros de chumbo e pólvora nas mãos do menino. Apesar de dizerem que os resultados não foram comprometidos, os peritos destacaram que exames não puderam ser feitos na arma e no carro. A possibilidade avaliada é a de que o menino pode ter sido morto quando tentava descer do carro.

Além disso, a perícia aponta que não haviam sinais claros de disparos feitos de dentro do veículo. A perícia não desmente a versão dos policiais e o primeiro depoimento do menino de 11 anos que também estava no local.

A versão era de que Ítalo teria aberto e fechado a janela para atirar, colocando o braço esquerdo para fora. A Polícia Civil pedirá mais exames e o laudo deverá ficar pronto em um mês. Além disso, chamou a atenção o fato de uma luva do menino na mão direita não ter rastros de pólvora e chumbo.

Áudios gravados pela central de operações da polícia foram entregues à Polícia Civil pela Corregedoria da PM. A SSP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) disse que a cena do crime foi mudada pela necessidade de fazer “uma minuciosa revista” no carro. Além disso, a pasta diz que o corpo do menino foi mudado de lugar por conta do atendimento da ambulância.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.