São Paulo São Paulo atinge a taxa de 60% das crianças vacinadas contra a Covid

São Paulo atinge a taxa de 60% das crianças vacinadas contra a Covid

Estado imunizou 2,4 milhões de crianças entre 5 e 11 anos contra a doença com a primeira dose do esquema vacinal 

  • São Paulo | Do R7

SP atingiu o percentual de 60% das crianças de 5 a 11 anos imunizadas contra a Covid

SP atingiu o percentual de 60% das crianças de 5 a 11 anos imunizadas contra a Covid

SMSA/Divulgação

O estado de São Paulo atingiu o percentual de 60% das crianças entre 5 e 11 anos imunizadas contra a Covid-19 com a primeira dose do esquema vacinal. A informação foi confirmada pelo governador João Doria (PSDB) durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (16).

A coordenadora do PEI (Programa Estadual de Imunização), Regiane de Paula, afirmou que o plano é estabelecer uma parceria com as escolas para dar celeridade ao processo de vacinação. Há 2,4 milhões de crianças entre 5 e 11 anos imunizadas contra a doença. O público total dessa faixa etária, segundo o governo paulista, é de cerca de 4 milhões.

Regiane alertou ainda para o número de jovens que não completaram o esquema vacinal. Segundo a coordenadora do PEI, 1 milhão de adolescentes com idade entre 12 e 19 anos não completaram a imunização.

No Brasil, as crianças de 5 anos e as imunossuprimidas de 5 a 11 anos só podem receber o imunizante da Pfizer, enquanto as demais podem ser protegidas pela CoronaVac.

O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que 64,5% dos leitos de UTI estão ocupados no estado e 62,7% na Grande São Paulo. Segundo ele, no dia 1º de fevereiro o estado registrou 73% de ocupação de leitos de UTI, e a Grande São Paulo, 75% de ocupação. "Houve uma queda significativa na ocupação", afirmou.

Cautela com o Carnaval

O Comitê Científico de São Paulo pediu cautela à população nos dias de Carnaval em São Paulo para que os índices de transmissão de Covid-19 não voltem a crescer. "É fundamental que a população entenda que estamos numa fase de declínio da pandemia. Só será possível manter essa tendência se mantivermos essa tendência nos próximos dias, principalmente nos dias de Carnaval. Isso sempre traz como consequência uma piora dos índices", afirmou João Gabbardo, coordenador do órgão.

"Todos aqueles que esperam a volta de uma vida normal, que a gente consiga ultrapassar esse feriado sem uma piora. Isso vale tanto para a população quanto para quem organiza eventos. É preciso que segurem um pouco mais e precisamos manter números favoráveis."

Últimas