Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

SP: casal é preso por suspeita de torturar empregada doméstica

A polícia acredita que a vítima pode ter sido julgada pelo tribunal do crime após ter relatado ao namorado o suposto envolvimento dos patrões com o tráfico de drogas

São Paulo|Letícia Dauer, da Agência Record


Casal foi preso em Guararema, no interior de São Paulo
Casal foi preso em Guararema, no interior de São Paulo

Um casal está foi preso sob suspeita de torturar, agredir e manter em cárcere privado uma empregada doméstica em uma chácara de luxo em Guararema, no interior de São Paulo, na segunda-feira (10).

De acordo com a vítima, que terá a identidade preservada, seus chefes seriam os proprietários de um barco que foi apreendido com 1,2 tonelada de cocaína no Cais Pesqueiro do Mucuripe, na cidade de Fortaleza, no dia 20 de agosto.

Quando ela descobriu o envolvimento do casal com o tráfico de drogas, acabou contando o fato ao namorado. Como retaliação, o casal teria agredido a empregada.

Na segunda-feira, investigadores do 4° Distrito Policial de Guarulhos receberam uma denúncia anônima e se deslocaram até a chácara, no bairro Itapema.

Publicidade

Os policiais foram à paisana e em uma viatura descaracterizada. Quando chegaram ao sítio, encontraram os donos, Vanderlei da Silva Faria, conhecido como Charles, de 38 anos, e Ana Julia Mendes, de 21, além da empregada doméstica.

Inicialmente, a vítima ficou muito assustada com a presença dos agentes e teve medo de morrer. Em depoimento, ela disse que pensou que os policiais eram "mercenários", responsáveis pela sua execução.

Publicidade

A empregada ainda relatou que conheceu os patrões sete meses atrás, por meio de um amigo. "Eu comecei a trabalhar para eles em Natal. Ficamos lá por dois meses. Até esse momento, eu não desconfiava de nada", relata.

Após dois meses, Vanderlei e Ana Júlia se mudaram para Fortaleza, levando a funcionária com eles. Nesse período, o barco com 1,2 tonelada de cocaína — que pertenceria ao casal — foi apreendido, o que motivou mais uma mudança.

Publicidade

Leia também

Como tinha acesso à senha do celular da funcionária, Ana Júlia teria descoberto o conteúdo da conversa entre a empregada e o namorado. "Ainda em Natal, a dona Júlia me deu um celular, e foi ela mesma que habilitou o aparelho. Então, ela tinha a senha de acesso e sempre olhava", disse a vítima aos policiais.

Em retaliação, durante a madrugada de segunda-feira, a mulher teria agredido a funcionária. "Ela me tirou do quarto pelos cabelos, me dando tapas, socos e pontapés. Ela me fez descer as escadas a pancadas", relatou a empregada. Ao mesmo tempo, Charles a teria ameaçado com uma faca.

Para a Polícia Civil, possivelmente o casal estaria articulando a realização de um tribunal do crime para que o ato da empregada fosse julgado.

O caso foi registrado como tortura, sequestro e cárcere privado no 4° Distrito Policial de Guarulhos. Os agressores foram encaminhados à carceragem do 1° Distrito Policial da cidade.

O R7 tenta localizar advogados de Vanderlei da Silva Faria e Ana Julia Mendes. Caso eles se manifestem sobre a prisão, o posicionamento será acrescentado à reportagem.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.