Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Vídeo: pai e namorado defendem aluna de briga com colega e são espancados na porta da escola

Jovem teria brigado com colega porque ela estaria dando em cima do seu namorado. Pai tentou intervir e foi espancado

São Paulo|Isabelle Amaral, do R7


O pai e o namorado de uma aluna foram defendê-la de uma briga com uma colega e acabaram espancados em frente à Escola Estadual Professora Dora Peretti de Oliveira, localizada na rua Líbero Badaró, em Mogi das Cruzes, na quarta-feira (1°). Vídeos enviados ao R7 mostram as agressões.

De acordo com um funcionário da unidade escolar que preferiu não ser identificado, a aluna foi tirar satisfação com uma colega porque ela estaria dando em cima do seu namorado. A briga entre as duas se iniciou.

Pai da aluna foi derrubado no chão
Pai da aluna foi derrubado no chão

Na sequência, o namorado da menina entrou no meio para defendê-la junto com o pai, que havia ido à escola buscá-la. No entanto, os demais estudantes que acompanharam a briga não os deixaram defender a jovem. Aparentemente, segundo o funcionário, queriam que as duas meninas continuassem brigando sem o envolvimento de terceiros.

Nos vídeos, é possível ver o momento em que o pai da estudante chega a cair no chão ao ser espancado.

Publicidade

Mãe de um dos envolvidos fez o filho pedir desculpa de joelhos

Nesta quinta-feira (2), a mãe de um dos jovens que aparecem agredindo o pai da aluna fez o filho pedir desculpas a ele de joelhos durante uma reunião com os envolvidos na briga.

"Essa mãe chegou até a bater no filho. O clima ficou tenso lá", contou o trabalhador da unidade.

Publicidade

Pancadaria frequente na escola

Esse tipo de pancadaria tem sido frequente na escola, dentro e fora, segundo o funcionário. "A supervisora daqui fala que não há violência escolar, mas a gente vê direto, fazemos até vídeos para provar. Já era para terem chamado o Conselho de Educação para tratar do assunto há tempos", afirmou.

Além da violência, há uma intensa incidência do consumo de drogas entre alunos. O funcionário conta que os estudantes consomem crack e maconha e, apesar das câmeras instaladas para monitoramento, não se sentem intimidados.

Publicidade

A região da escola também tem sofrido com assaltos constantes, gerando medo em professores e funcionários da unidade. "Teve um dia que um dos professores achou ter sido assaltado por um aluno", contou o funcionário.

Em nota ao R7, a Secretaria Estadual de Educação afimou que não compactua com a violência dentro ou fora das unidades, e que as escolas trabalham pela "cultura de paz e de respeito ao próximo".

Veja a nota na íntegra

"A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo não compactua com qualquer tipo de violência, dentro ou fora das unidades escolares, e preza pelo respeito entre os alunos.

As escolas seguem trabalhando a cultura de paz e de respeito ao próximo por meio das ações do Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar (Conviva-SP). Em todos os casos, os responsáveis foram chamado para uma reunião de mediação.

O caso está sendo inserido na Plataforma Conviva SP - Placon, que acompanha o registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino. A gestão da escola e a Diretoria de Ensino de Mogi das Cruzes estão à disposição para qualquer esclarecimento para a comunidade".

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.