Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Brasil registra mais de 220 mil casos e 43 mortes por dengue no fim de semana

País tem 2,265 milhões de casos e 758 mortes confirmadas desde o começo do ano; outras 1.252 óbitos estão sob investigação

Saúde|Giovanna Inoue, do R7, em Brasília


Brasil já registra 758 mortes em 2024
Brasil já registra 758 mortes em 2024 Reprodução/Record News - 20.03.2024

O Brasil registrou, entre sexta-feira (22) e esta segunda-feira (25), 220.658 novos casos prováveis e 43 mortes causadas por dengue no país. Foram mais de 2,265 milhões de casos e 758 mortes confirmadas desde o começo do ano. Outros 1.252 óbitos estão sob investigação. O Distrito Federal segue como a unidade da federação com maior taxa de incidência de casos, seguido por Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e Goiás. Somadas, essas cinco UFs concentram 59% dos casos de dengue do país.

A faixa etária que mais registra casos de dengue é de 20 a 29 anos, com mais de 431 mil casos, o que representa quase 19% do total. A maioria das pessoas que pega dengue é mulher (55,4%).

A situação de emergência em saúde pública já foi decretada no Distrito Federal e em 10 estados: Acre, Amapá, Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Na última quinta-feira (21), o Brasil superou a marca de dois milhões de casos de dengue confirmados.

Publicidade

Redistribuição de vacina

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, declarou na última quarta-feira (20) que vai redistribuir as doses da vacina da dengue não aplicadas para novos municípios. A medida foi informada em coletiva de imprensa com a titular da pasta, que anunciou também a liberação de R$ 300 milhões para o apoio a municípios na compra de medicamentos, soros e outros itens essenciais para o cuidado dos pacientes com dengue.

"Nós vamos fazer a redistribuição das doses que não foram aplicadas e que estão nos municípios, usando o ranqueamento dos municípios que estão em situação de emergência. Isso está em processo. Tem que ser feito de uma forma muito cuidadosa. E isso é muito positivo. Queria também aproveitar e lembrar o que eu tenho dito em toda a coletiva: a vacina é um instrumento importantíssimo a médio e longo prazo, ela não é solução para esse equilíbrio, ainda mais uma vacina que é fabricada em duas doses com intervalos de três meses", disse.

A ministra acrescentou que a compra de soros, medicamentos e outros itens serão reforçados pelo ministério. "Estamos destinando, essa portaria saiu publicada hoje, R$ 300 milhões para estados e municípios para especificamente fazer a aquisição desses medicamentos", afirmou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.