Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Empresa é condenada por subornar médicos para prescreverem opiáceo

Executivos da INSYS Therapeutics, nos EUA, foram considerados culpados; remédio é 100 vezes mais potente que morfina e pode causar dependência

Saúde|Deborah Giannini, do R7

O medicamento Subsys era prescrito por médicos sem haver necessidade
O medicamento Subsys era prescrito por médicos sem haver necessidade O medicamento Subsys era prescrito por médicos sem haver necessidade

Uma empresa farmacêutica subornava médicos para prescreverem um potente opiáceo sem necessidade nos Estados Unidos, segundo a rede de TV norte-americana CNN. Os opiáceos podem causar dependência. 

Na última quinta-feira (2), cinco altos executivos dessa empresa, a INSYS Therapeutics, foram condenados pela Justiça norte-americana sob a acusação de extorsão ao terem subornado médicos a prescreverem o remédio Subsys, um analgésico 100 vezes mais potente que a morfina, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) do governo dos Estados Unidos, para pessoas que não precisam dele.

Leia também: Chance de morrer por overdose é maior que por acidente de carro nos Estados Unidos

O princípio ativo do Subsys é o fentanil, um opióide sintético aprovado para o tratamento da dor grave, geralmente dor oncológica avançada. Segundo o CDC, esse remédio "pode ser desviado para uso indevido".

Publicidade

A epidemia de opiáceos nos Estados Unidos já matou 400 mil pessoas nos últimos 20 anos, de acordo com o CDC.

Saiba mais: Opioide é associado a nascimentos de bebês com intestino exposto

Publicidade

De acordo com a CNN, o júri levou 15 dias para chegar a um veredicto, considerado histórico. Inclusive o bilionário e fundador da empresa, John Kapoor, está entre os condenados.

"Assim como faríamos com os traficantes de rua, vamos responsabilizar os farmacêuticos por alimentar a epidemia de opiáceos distribuindo essas drogas de maneira imprudente e ilegal", afirmou o advogado Andrew Lelling à CNN.

Publicidade

Leia também: Epidemia de opiáceos deve ser questão médica, diz jornalista

Já a advogada de um dos executivos, Tracy Miner, disse à CNN que planeja apelar. "Opiáceos podem ser mal utilizados, mas a crise de opiáceos nos Estados Unidos não foi causada por esses acusados", afirmou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.