Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Fiocruz orienta como passar Natal e Réveillon seguros contra a Covid-19

Documento lançado pela fundação adverte que pandemia ainda não terminou e é necessário atenção às festas do fim de ano

Saúde|Da Agência Brasil


Mesmo com números da pandemia em queda, Fiocruz pede cuidados nas festas do fim de ano
Mesmo com números da pandemia em queda, Fiocruz pede cuidados nas festas do fim de ano

O Observatório Covid-19 Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz) advertiu que, embora o Brasil registre atualmente queda nos principais indicadores da doença, em razão da campanha de imunização, a pandemia ainda não acabou. Assim como no fim do ano passado surgiu a Delta, a descoberta da nova variante, Ômicron, representa um alerta sobre a crise sanitária e os cuidados necessários durante as festas de fim de ano.

Por isso, a fundação diz ser fundamental o avanço da vacinação e a manutenção de medidas adicionais de proteção. Com esse objetivo, o observatório lançou nesta segunda-feira (13) uma nova cartilha, que engloba um conjunto de orientações sobre formas mais seguras de passar o Natal e o Réveillon e diminuir os riscos de transmissão da Covid-19 no período.

As recomendações que constam na cartilha também serão divulgadas em formato de cards informativos para compartilhamento pelo WhatsApp e outras redes sociais, bem como por uma enquete nas redes, que simula um jogo para a pessoa que deseja ir a um encontro de fim de ano da maneira mais segura possível.

Esta é a segunda edição da cartilha, cuja mensagem principal é a vacinação como forma mais importante de proteção. Algumas das recomendações formuladas na edição do ano passado continuam valendo, especialmente para aquelas pessoas que não sabem se todos os que estarão presentes nos encontros e eventos de fim de ano foram vacinados, se são do grupo de risco, ou mais vulneráveis, como os idosos, ou se há crianças na família que ainda não se vacinaram.

Publicidade

A cartilha traz orientações sobre a participação em eventos familiares e pequenos encontros entre amigos, já que as aglomerações ainda devem ser evitadas.

Segundo os pesquisadores do observatório, as recomendações sugeridas podem e devem ser compartilhadas e discutidas em família, grupos de amigos, nos locais de trabalho, nas comunidades e em outros coletivos. O objetivo é esclarecer, dialogar e pactuar estratégias solidárias e conscientes para que as pessoas possam manter as festas cuidando umas das outras, e também incentivar parentes, amigos e colegas de trabalho não imunizados a se vacinar.

Publicidade

A última edição do Boletim do Observatório Covid-19 da Fiocruz enfatiza que a proximidade das festas de fim de ano e das férias escolares, além do aquecimento do turismo, aumenta a circulação de pessoas nas ruas e impõe especial atenção sobre o monitoramento da intensidade dessa movimentação.

De acordo com o coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, Carlos Machado, o cenário atual é mais favorável do que o do ano passado, mas ainda é preciso manter-se alerta, especialmente diante das incertezas relacionadas à nova variante do coronavírus e à intensidade de circulação de pessoas neste período do ano.

“Por isso, reforçamos que o principal cuidado neste fim de 2021 é garantir que todos estejam vacinados com o esquema completo, incluindo a dose de reforço, caso a pessoa já tenha essa indicação. Para quem ainda não está com o esquema completo, recomendamos que vá ao posto de saúde 14 dias antes do evento para que possa estar protegido e ajudar a proteger os outros também”, disse Machado. Estar vacinado é o melhor presente neste fim de ano, afirmou Machado, aconselhando: “Proteja você e sua família”.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.