Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Tecnologia e Ciência
Publicidade

Biólogos marinhos captam zumbido não identificado que pode ser uma nova espécie de peixe

Cientistas utilizaram de hidrofones para estudar a vida marinha e aprender sobre seu comportamento e movimentos

Tecnologia e Ciência|Matheus Borges*, do R7

Hidrofones são utilizados para escutar a vida marinha de forma passiva
Hidrofones são utilizados para escutar a vida marinha de forma passiva Hidrofones são utilizados para escutar a vida marinha de forma passiva

Cientistas marinhos estavam captando sons da vida subaquática de Goa, na Índia, para realizar estudos sobre a biodiversidade do local, quando ouviram um zumbido não identificado que pode representar uma nova espécie misteriosa.

Os biólogos estavam utilizandi hidrofones, microfones que gravam sons em baixo d'água, para capturar as paisagens sonoras da vida selvagem aquática em todo o mundo.

O equipamento é utilizado para escutar a sonoridade do oceano de forma não invasiva por vários dias seguidos, para aprender sobre seu comportamento, movimentos e sua resposta às mudanças ambientais.

Neste estudo, entre diversos zumbidos diferentes, um se destacou por não ser conhecido pelo oceanógrafos. Eles afirmaram que a gravação soa muito parecido com outra feita na região da Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

Publicidade

“Os dados espectrais e temporais sugerem que o som pertence a um peixe. No entanto, a falta de gravações arquivadas é um grande obstáculo e não nos permite confirmar o tipo de espécie de peixe seria", disse Bishwajit Chakraborty, cientista marinho e co-autor do estudo, ao site de notícias Vice.

Leia também

Os dados coletados na Índia, pelo Instituto Nacional de Oceanografia do Conselho Indiano de Pesquisa Científica e Industrial, serão revelados na quarta-feira durante uma reunião com o International Quiet Ocean Experiment Massachusetts, nos EUA.

Publicidade

“Realizamos nossa investigação em Goa devido à presença de um sistema de recife de coral ativo que é facilmente acessível e realizar pesquisas aqui também foi logisticamente fácil”, disse Chakraborty.

Annie Innes-Gold, uma estudante do Instituto de Biologia Marinha do Havaí, alegou em seu canal do Youtube que o uso dessa tecnologia se tornou muito importante nos dias de hoje devido às grandes pressões humanas sobre os ecossistemas marinhos, com pesca predatória, poluição plástica e mudanças climáticas.

Publicidade

*Estagiário do R7 sob supervisão de Odair Braz Jr.

'Peixe do fim do mundo' gigante é pescado no Chile e deixa moradores apavorados

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.