Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Tecnologia e Ciência
Publicidade

Facebook não impediu que crianças gastassem grana dos pais em jogos

Documentos apontam que a rede social incentivou desenvolvedores a não exigir permissões dos pais e se recusou por muitas vezes a devolver a grana

Tecnologia e Ciência|Alexandre Garcia, do R7


Prática foi classificada como "fraude amigável"
Prática foi classificada como "fraude amigável"

O Facebook se organizou por anos para em um plano que tirou dinheiro de crianças e seus pais com jogos disponibilizados pela rede social, que por muitas vezes se recusou a devolver a grana. As informações foram reveladas por documentos em resposta a uma ação movida pelo site Reveal.

A ação coletiva, datada de 2012, foi focada na maneira como o Facebook utilizou as crianças para ampliar a receita de jogos online da plataforma. O Facebook teria classificado a prática como uma "fraude amigável", segundo consta na ação.

Mark Zuckerberg planeja integrar WhatsApp, Instagram e Messenger

De acordo com os documentos divulgados, a rede social de Mark Zuckerberg chegou a incentivar os desenvolvedores dos jogos a não exigir a permissão dos pais no momento em que as crianças realizavam uma atividade em que era necessário o uso de dinheiro.

Publicidade

Um outro relatório interno do Facebook aponta que algumas vezes as crianças sequer sabiam que gastavam dinheiro durante o jogo.

Os documentos também mostram que funcionários da rede social tinham conhecimento da prática, mas foram ignorados pela empresa ao tentar alertar que eles estavam enganando as crianças e os pais.

Segundo o Reveal, um grupo de profissionais do Facebook chegou a desenvolver uma alternativa para diminuir o problema, mas a rede social se recusou a implementar o método porque o foco seria "maximizar as receitas".

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.