• Twitter Created with Sketch.

Rio de Janeiro

Papa inaugura no Rio centro de atendimento a usuários de drogas e pessoas com transtornos mentais

Apesar da cerimônia de abertura, espaço só começará a funcionar daqui há um mês

Do R7, com Agência Brasil

Papa terá agenda cheia no terceiro dia de visita ao Brasil
Papa terá agenda cheia no terceiro dia de visita ao Brasil André Mourão / Agência O Dia

Nesta quarta-feira (24), o papa Francisco sairá do Rio de Janeiro às 8h15 de helicóptero para visitar a Basílica de Aparecida, no interior de São Paulo. Quando voltar ao Rio, às 17h30, seguirá direto para a Tijuca, na zona norte da cidade, onde participará da inauguração do Polo de Atenção Integral à Saúde Mental. Vinculado à arquidiocese da cidade, o local vai oferecer 80 leitos para atendimentos, por até 30 dias, de casos graves.

A unidade custou R$ 2,5 milhões e foi construída com recursos da Conferência Episcopal Italiana. O polo de atenção entra em funcionamento daqui a cerca de um mês, com 40 leitos, e vai dobrar a capacidade de atendimento até o fim do ano. Foi criado para atender pacientes em crise psiquiátrica, vindos de comunidades terapêuticas e poderá atuar em parceria com projetos semelhantes de outras igrejas.

Segundo o diretor executivo do polo, Ítalo Marsili, dados do Ministério da Saúde, mostram que o país tem cerca de dois milhões de pessoas dependentes de drogas como o crack, sendo que mais da metade está no sudeste. No Estado do Rio, a estimativa dele é de que sejam cerca de 600 mil dependentes. No entanto, há um déficit na estrutura de tratamento, como informou Marsili.

— A rede do Ministério da Saúde no Rio conta hoje com menos de 20 leitos espalhados por todos os hospitais. Então, você faz a conta e vê que não é suficiente.

Além da carência de leitos, o diretor do polo falou da dificuldade de adesão do paciente ao tratamento, em torno de 12%. Para superar o problema, o superintendente do polo, frei Francisco Belotti, aposta no treinamento da equipe de médicos e enfermeiros em bases franciscanas.

— Não, jamais [vamos obrigar pessoas a ir à missa]. A nossa religiosidade é mais para os profissionais, no jeito de cuidar, de dar a medicação, de abordar, de entrar no quarto e acolher a família.

O polo de saúde mental funcionará no complexo do Hospital São Francisco de Assis, na Tijuca. A instituição busca estabelecer convênios com a prefeitura por meio do SUS (Sistema Único de Saúde). Por enquanto, atenderá gratuitamente.

  • Espalhe por aí:

Vídeos

Carregando

Twitter

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!
Access log
Access log