Brasil Aras é aprovado pela CCJ do Senado para PGR

Aras é aprovado pela CCJ do Senado para PGR

Comissão acatou nome escolhido por Bolsonaro com 23 votos favoráveis e 3 contra. Indicação ainda precisa passar pelo plenário da Casa

  • Brasil | Do R7

Subprocurador foi aprovado com 23 votos favoráveis, 3 contrários e 1 em branco

Subprocurador foi aprovado com 23 votos favoráveis, 3 contrários e 1 em branco

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O subprocurador-geral Augusto Aras foi aprovado pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado para o comando da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Ele obteve 23 votos favoráveis, três contrários e um voto em branco. O resultado da votação foi divulgado na tarde desta quarta-feira (25).

Leia também: Aras diz que faltou 'cabeça branca' na Lava Jato e critica Deltan

A indicação ainda depende de uma votação no plenário da Casa, o que deve ocorrer ainda nesta quarta-feira.

No plenário, ele precisará de no mínimo 41 votos favoráveis. A sabatina durou pouco mais de cinco horas.

Aras defendeu MP moderno e desenvolvimentista

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que Aras reúne "todas as condições" para ser aprovado no plenário e exercer o cargo na PGR.

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR), Aras defendeu, durante sua sabatina, um MP moderno e desenvolvimentista, que deve atuar de forma multidisciplinar e se afastando de "caprichos pessoais".

Leia também: Número de funcionários públicos no país chega a 3,1 milhões em 2018

Aras destacou ainda, sem citar nomes, que o mérito individual de procuradores deverá ser reconhecido, mas ressalvou que a confiança deve se voltar para as instituições por causa do princípio da impessoalidade.

Aras disse ainda, em exposição inicial de cerca de 10 minutos, que a operação Lava Jato representou um marco no combate à corrupção no país.

O indicado também defendeu que se compatibilize o desenvolvimento econômico juntamente com a preservação do meio ambiente, e reafirmou o compromisso de uma atuação firme e imparcial, caso seja confirmado no cargo.

Últimas